. a cura: PALMEIRAS

ache aqui

reabilitação,quimica,engravida,criança,emagrecer,obsidade

---------------------------------- ----------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

segunda-feira, 5 de março de 2012

PALMEIRAS


PALMEIRAS

Nome comum: Açaí

Nome científico: Euterpe oleracea

Origem: Nativa

Propagação: sementes ou divisão de touceira

Características: assemelha-se à espécie Euterpe edulis, porém tem porte mais alto e apresenta-se em touceiras





Nome comum: Areca

Nome científico: Areca trianda

Origem: Índia

Propagação: semente ou touceira

Características: cresce formando touceiras; vários troncos crescem paralelamente com estipes de 5 cm fortemente anelados e pode atingir até 5 metros de altura. Em adulta, suporta o sol pleno. Folhas pinadas verde-brilhante



Nome comum: Areca bambu

Nome científico: Chrysalidocarpus lutescens

Origem: Exótica (Ilha de Bourboni)

Propagação: semente ou divisão de touceiras

Características: semente ou divisão de touceiras vários troncos crescem paralelos à base, formando touceira; troncos lisos anelados na base; suas folhas pinadas arqueiam-se e a nervura principal é amarela; pode atingir até 9 metros; cultivada em vaso quando nova



Nome comum: Babaçu

Nome científico: Orbignya speciosa ou Orbignya martiana

Origem: Brasil

Propagação: sementes

Características: único estipe bem marcado pela cicatriz das folhas que caíram, atingindo de 10 a 15 metros de altura; folhas pinadas verde-escuras, grandes, de até 8 metros de cumprimento; frutos: cerca de 250 em cada cacho e cada planta produz cerca de 40 cachos, marrom-escuros e densamente agrupados; tem importância pela extração do óleo de babaçu




Nome comum: Buriti

Nome científico: Mauritia vinifera

Origem: Brasil

Propagação: sementes

Características: característica de veredas; grande porte, estipe único; folhas grandes em forma de leque; os frutos se formam em grandes cachos pendentes abaixo da copa; muito ornamental




Nome comum: Carnaúba

Nome científico: Copernicia cerífera ou Copernicia brunífera

Origem: Brasil

Características: estipe único, reto, inteiramente revestido por restos de pecíolos, formando espirais densas; cresce até 20 metros; folhas em formato de leque; tem importância pela extração de cera de carnaúba; aspecto muito ornamental





Nome comum: Caryota

Nome científico: Caryota mitis / Caryota urens

Origem: Ásia

Propagação: C. mitis: sementes divisão de touceira. C. urens: sementes

Características: C. mitis: apresenta estipes múltiplos, entouceirando-se. C. urens: emite único estipe grosso, que atinge 10 a 15 metros; produz frutos depois de 15 anos, quando morre; ambas produzem cachos de frutos vermelho-alaranjados, arredondados; frutos revestidos por cristais que provocam ardor intenso. (C. urens)



Nome comum: Coqueiro da Bahia

Nome científico: Cocus nucifera

Origem: Caribe

Propagação: sementes

Características: tronco alto, grosso e liso, às vezes arqueado, no topo das folhas compridas pinadas; fruto comestível, muito apreciado; adapta-se bem em clima tropical, sem o qual cresce lentamente e não chega a frutificar; variedade anã cresce mais rapidamente



Nome comum: Falsa latânia

Nome científico: Livistona chinensis

Origem: China

Propagação: sementes

Características: Rápis Raphis excelsa ou Raphis flabeliformes China sementes ou divisão de touceiras estipes múltiplos, finos, crescimento no máximo de 5 metros; sua duração não ultrapassa 3 anos; folhas em leque, pequenas; prefere local sombreado e pode-se cultivar em vaso



Nome comum: Latânia

Nome científico: Latania lontaroides

Origem: Ilhas Maurícias

Propagação: sementes

Características: plantas masculinas e femininas, sendo que somente a última produz frutos; tronco único, dilatado na base; folhas em forma de leque, extremidades retas, chegando até 2,5 metros de diâmetro e pecíolo de 2 metros; muito usada como ornamento, quando nova, também em vaso



Nome comum: Licuri

Nome científico: Arecastrum romanzoffianum ou Cocos plumosa

Origem: Brasil

Características: característico da mata atlântica; estipe único, liso; folhas pinadas; frutos grandes em cachos alaranjados



Nome comum: Macaúbas

Nome científico: Acrocomia sclerocarpa

Origem: Brasil

Propagação: sementes

Características: folhas pinadas; estipe único com muitos espinhos; muito ornamental



Nome científico: Chamaerops humilis

Origem: Europa

Propagação: sementes ou divisão de touceiras

Características: adapta-se melhor em clima frio; forma touceiras baixas e densas com altura de 1 a 5 metros; estipes inteiramente revestidos pela base dos pecíolos das folhas



Nome comum: Palmeira imperial

Nome científico: Roystonea regia

Origem: Cuba

Propagação: sementes

Características: tronco inchado á meia altura; porte menor: até 15 metro



Nome comum: Palmeira real

Nome científico: Roystonea oleracea

Origem: Caraíbas

Propagação: sementes

Características: tronco nu bem reto, encimado por grandes folhas pinadas; atinge até 50 metros de altura



Nome comum: Palmito doce, juçara

Nome científico: Euterpe edulis

Origem: Nativa

Propagação: sementes

Características: é a que fornece o palmito comum; tronco alto, liso, delgado, reto, de coloração acinzentada



Nome comum: Rápis

Nome científico: Raphis excelsa ou Raphis flabeliformes

Origem: China

Propagação: sementes ou divisão de touceiras

Características: estipes múltiplos, finos, crescimento no máximo de 5 metros; sua duração não ultrapassa 3 anos; folhas em leque, pequenas; prefere local sombreado e pode-se cultivar em vaso



Nome comum: Seafórtia

Nome científico: Seaphortia elegans

Origem: Austrália

Propagação: sementes

Características: palmito grande e visível, verde intenso; grande quantidade de frutos vermelhos pequenos redondos, apreciado por pássaros; pode atingir até 15 metros de altura



Nome comum: Tamareira ou fênix

Nome científico: Phoenix canarienses e Phoenix dactylifera

Propagação: sementes

Características: P. canarienses: muito encontrada em jardins, porte muito alto e tronco que atinge até 1,2 metros de diâmetro. P. dactylifera: é a que produz o fruto comestível; atinge até 30 metros de altura; todas as espécies têm folhas pinadas, com folíolos próximos ao tronco transformados em longos espinhos; frutos amarelo-alaranjados, chegando ao marrom



emagrecer,dieta,abnoplastia,

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs