emagrecer,dieta,abnoplastia,

reabilitação,quimica,engravida,criança,emagrecer,obsidade

Mostrando postagens com marcador Recomendações para Grávidas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Recomendações para Grávidas. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 17 de maio de 2017

faça seu cartao SUS (Cadastramento Nacional de Usuários do SUS )


O Cartão Nacional de Saúde é um instrumento que possibilita a vinculação dos procedimentos executados no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) ao usuário, ao profissional que os realizou e também à unidade de saúde onde foram realizados. Para tanto, é necessária a construção de cadastros de usuários, de profissionais de saúde e de unidades de saúde. A partir desses cadastros, os usuários do SUS e os profissionais de saúde recebem um número nacional de identificação.

Cadastramento de Usuários 

O cadastramento de usuários para os 44 municípios do projeto-piloto do Cartão Nacional de Saúde foi iniciado em janeiro de 2000, com o objetivo de constituir um cadastro com informações individualizadas dos usuários nesses municípios, permitindo que cada cidadão tenha seu Cartão Nacional de Saúde. 

O Ministério da Saúde assinou convênio com cada um dos 44 municípios, de forma a apoiar as tarefas envolvidas no cadastramento. O repasse foi feito na base de R$ 0,30 por habitante, devendo o município dispor, em contrapartida, de R$ 1,00 por habitante. Cada município estabeleceu sua própria estratégia de operacionalização do cadastramento. 

Os cartões confeccionados pelas empresas contratadas pelo Ministério da Saúde são encaminhados às respectivas secretarias municipais de saúde. Cabe ao gestor, portanto, sua distribuição aos usuários. É nesse momento que deve ser aproveitado o contato para ressaltar a importância de seu uso e dos benefícios. A forma de distribuição também pode ser escolhida pelo município: 

§ entrega domiciliar; 

§ entrega na unidade de saúde; 

§ entrega feita por agentes comunitários de saúde; 

§ entrega feita pelos Correios. 

Cadastramento de Profissionais 

Os profissionais envolvidos nas unidades de saúde onde está sendo implantado o Cartão Nacional de Saúde também precisam ser cadastrados para que possam receber seus cartões de identificação, igualmente baseados no número PIS/Pasep. 

O cadastramento dos profissionais dos 44 municípios teve início em novembro/2000 e integra o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde realizado pela Secretaria de Assistência à Saúde (SAS), do Ministério da Saúde. 

Para o Projeto, são considerados profissionais todos aqueles que geram procedimentos para o SUS ou que trabalharão com a operação direta dos terminais de atendimento. 

O cadastramento foi idealizado nos mesmos moldes do cadastramento de usuários, um formulário foi concebido pelo Ministério e o Departamento de Informática do SUS (Datasus) desenvolveu um aplicativo para entrada de dados. 


Os cartões de profissionais também são encaminhados às secretarias municipais de saúde, juntamente com as correspondências lacradas que contêm as senhas de acesso ao sistema. 


Essa senha é pessoal, sigilosa, intransferível, está gravada na tarja magnética do cartão e permite a identificação do profissional que faz atendimento, lança ou extrai dados do sistema. 



Cadastramento Nacional de Usuários do SUS 


Diante da necessidade de identificação individualizada de usuários do SUS e já visando à expansão do projeto Cartão Nacional de Saúde para toda a população brasileira, na Portaria MS/GM nº 17, de 13 de fevereiro de 2001, o Ministério da Saúde instituiu o Cadastro Nacional de Usuários do Sistema Único de Saúde e regulamentou sua implantação. 

Esse cadastramento agrega novas características àquele anteriormente desenvolvido nos municípios do projeto piloto: 

· todo o preenchimento dos formulários deve ser feito através da visita aos domicílios dos usuários; 

· os municípios e estados aderem ao processo voluntariamente por meio da assinatura de termos de adesão; 

· a ajuda financeira aos municípios para a operacionalização do processo é realizada a partir da validação de cada cadastro. Como forma de apoiar o início do processo de cadastramento, na adesão dos municípios o Ministério da Saúde libera 15% do total de recursos estimados para o repasse. 

A Portaria SIS/SE n.º 39, publicada em 19 de abril de 2001, trata da operacionalização do processo de cadastramento nacional e traz os termos de adesão, municipal e estadual, bem como o manual de preenchimento do formulário.

Medicina do Trabalho curso gratis online


Medicina do Trabalho

 Atua especificamente visando a promoção e a preservação da saúde do trabalhador

Este curso é GRÀTIS. Aproveite!
Totalmente livre de mensalidades.
Medicina do Trabalho
A Medicina do Trabalho é um ramo da saúde focado na preservação da vida e integridade do funcionário em qualquer tipo de empresa. A medicina do trabalho, enquanto especialidade médica surgiu na Inglaterra, na primeira metade do século XIX, com a Revolução Industrial.
Este curso tem Carga Horária de 30h/a
 Com o seguinte conteúdo programático:
Lição 01: Introdução
Lição 02:  Condições de segurança e medicina no trabalho
Lição 03: Criação de novos métodos de intervenção e proteção à saúde
Lição 04: Dia do acidente e Benefícios previdenciário
Lição 05: Aposentadoria por invalidez e seguro acidente do trabalho –SAT
Lição 06: Enquadramento das atividades de uma empresa
Lição 07: Tempo de trabalho e programa de condições e meio ambiente  de trabalho
Lição 08: Auditor fiscal e documentos histórico  laboral
Lição 09: Resultados de exames e laudo técnico de condições ambientais
Lição 10: Análise de risco do trabalho e etapas do trabalho
Lição 11: Bibliografia
FICHA DE INFORMAÇÕES
Embasamento Legal: nossos Seminário têm base legal constituída pelo Decreto Presidencial nº 5.154 e nossa metodologia segue as normas do MEC através da Resolução CNE nº 04/99.
Pré-requisitos: profissionais na area de saúde, estudantes e profissionais afins
Carga Horária do Certificado: 30 horas
O objetivo: o aluno vai aprender sobre as Condições de segurança e medicina no trabalho,  Criação de novos métodos de intervenção e proteção à saúde, Dia do acidente e Benefícios previdenciário e outros.
Vantagens do Certificado:
  • Atualizar seu Currículo, aumentando suas chances para conquistar um bom emprego;
  • Aumentar suas chances de promoção no emprego (atual);
  • Completar horas em atividades Extracurriculares (geralmente exigidas em Faculdades);
  • Progressão Funcional para Servidores Públicos;
  • Pré-Requisito para concursos e cursos.

terça-feira, 16 de maio de 2017

SUS oferece tratamento gratuito para diabéticos

  14 de novembro é lembrado o Dia Mundial do Diabetes, doença crônica que atinge entre 9 e 10 milhões de brasileiros com mais de 18 anos

tratamento gratuito para as pessoas que querem parar de fumar


tratamento gratuito para as pessoas que querem parar de fumar 

 Resultado de imagem para tratamento gratuito para as pessoas que querem parar de fumar

SUS oferece tratamento para quem deseja parar de fumar

 como é o tratamento. "No primeiro trimestre do tratamento o tabagista faz uso de medicamento, que são fornecidos gratuitamente pelo SUS, para auxiliar na ansiedade. Ele faz uso de nicotina através de adesivos no braço para diminuir essa necessidade enorme que ele tem de pegar o cigarro. E durante as reuniões ele vai recebendo toda a orientação de como ficar sem o cigarro o que ele deve fazer para substituir o cigarro. Ele já sai depois de um ano como ex-fumante. Um ano já é suficiente para o indivíduo conseguir viver sem o cigarro."

A coordenadora do programa estadual de controle do tabagismo, de Minas Gerais, Thereza Senra, explica ainda que a vontade de parar de fumar é o primeiro passo para o sucesso do tratamento. "O primeiro passo que eu considero mais importante de todos é querer parar de fumar, porque não adianta querer fazer um tratamento se não tiver uma vontade. Às vezes as pessoas falam 'nossa, não parou de fumar porque não quer, porque é fraco e não tem força de vontade'. Não. É porque às vezes não dá conta mesmo. Então, a partir do momento que a possa quer parar de fumar, ela precisa de ajuda. O tabagista quando ele está com vontade de parar de fumar ele pode procurar uma unidade básica de saúde e falar que ele quer para de fumar."

Pare de Fumar - Inca

Tratamento do Tabagismo ... Muitos são os fatores que podem levar a pessoa a experimentar drogas, já que é histórica a ... Portanto, se você quer parar de fumar comece escolhendo uma data para ser o seu primeiro dia sem cigarro.

 
Para ter acesso ao tratamento, basta procurar uma Unidade Básica de Saúde, levar a identidade e se inscrever no programa de combate ao tabagismo do SUS. O Brasil recebeu reconhecimento internacional no controle do tabagismo. O prêmio foi entregue nesta semana durante a 16ª Conferência Mundial Sobre Tabaco ou Saúde em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos. Para saber mais sobre o tratamento gratuito para combater o vício do cigarro, acesse www.inca.gov.br/tabagismo
Fonte: Diane Lourenço/ Blog da Saúde
Registrado em:

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Moringa para Todos


Moringa para Todos

Projeto de distribuição gratuita de sementes de Moringa oleifera para todo o Brasil e diversos outros países.

Resultado de imagem para moringa para todos 
O projeto “Moringa para Todos” tem como finalidade promover a distribuição gratuita de sementes de Moringa oleifera para todo o Brasil e diversos outros países, tendo em vista que essas sementes auxiliam na limpeza da água, para que se torne potável. Além disso, as folhas dessa árvore ajudam a combater a desnutrição humana e animal, dentre muitas outras finalidades.

IMPORTÂNCIA E PROPRIEDADES DA MORINGA

1. Alto teor nutricional

Conforme tabela do Departamento de Agricultura dos EUA, as folhas da Moringa oleifera contêm cálcio, ferro, magnésio, fósforo, potássio, sódio, zinco e as vitaminas A, B-6, B-12, C, D, tiamina, riboflavina e niacina (quantidades neste link).
Além desses nutrientes, a Moringa ainda contém altas concentrações de luteína e zeaxantina, de acordo com estudo publicado no Food Chemistry Journal.
Segundo o site Envolverde,
“Suas folhas são consideradas um ‘superalimento’, pois os cientistas descobriram que contêm o cálcio de quatro copos de leite, a vitamina C de sete laranjas, potássio de três bananas, três vezes mais ferro do que o espinafre, quatro vezes mais vitamina A do que uma cenoura e o dobro da proteína do leite. É como um supermercado em uma árvore.”

2. Purificação da água

As sementes de Moringa auxiliam na purificação da água para o consumo de comunidades desprivilegiadas, conforme demonstra o vídeo a seguir:


Por esses motivos é que trabalhamos para disseminar a Moringa pelo mundo, enviando gratuitamente sementes a quem nos solicita, dentro de nossas possibilidades. Veja aqui como solicitar suas sementes » 
Até o momento já enviamos gratuitamente mais de

1.716 sementes

de Moringa oleifera para o Brasil e o exterior!
[Até 20 de julho de 2016]

NOVIDADES

No link a seguir, são publicados artigos sobre a Moringa, dicas para fazer o pó das folhas e novidades do projeto:

CADASTRO

Para receber notificações sobre as atividades deste projeto, basta cadastrar seu endereço de e-mail utilizando o formulário a seguir:

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Vassourinha

De nome científico Scoparia dulcis, a vassourinha doce é uma planta medicinal nativa das Américas Central e do Sul, sendo também conhecida como coerana-branca, tupiçaba, corrente roxa, ganha-aqui-ganha-acolá, vassourinha-cheirosa, vassourinha-miúda, dentre outras denominações. Do gênero Scoparia L. e pertencente à família Plantaginaceae, a vassourinha doce é uma planta herbácea de sabor amargo e mucilaginosa, que alcança até 50 cm de altura, possui caule lenhoso e muitos ramos. As suas folhas são pequenas, ovadas ou lanceoladas, de cor verde-azulado e as suas flores são brancas e pequenas. Esta planta é historicamente utilizada pela população cabocla e na medicina popular, além de também fazer parte da farmacopeia homeopática.
Foto: Reprodução
Os principais componentes ativos da herbácea são os ácidos graxos (esteárico, mirístico e linoleico), adrenalina, amelina, mucilagem, glicose, azeite viscoso, taninos, alcaloides, dentre outros. Confira a seguir as propriedades medicinais, os benefícios e as indicações de uso da vassourinha doce.
Resultado de imagem para vassourinha

Propriedades medicinais

As propriedades medicinais da vassourinha doce incluem:
  • Ação adstringente;
  • Antiespasmódica;
  • Anticonceptiva;
  • Antidiabética;
  • Tônica;
  • Digestiva;
  • Febrífuga;
  • Depurativa;
  • Diurética;
  • Antisséptica;
  • Antiasmática;
  • Expectorante;
  • Antiblenorrágica;
  • Antiflatulenta;
  • Antigripal;
  • Emoliente;
  • Revitalizante;
  • Hepática, dentre outras.

Os benefícios e as indicações de uso

Devido às suas propriedades medicinais, a vassourinha doce serve para combater a asma, bronquite, gripe, catarros, afecções cutâneas, cólicas, tosse; auxilia em casos de hemorroidas; trata problemas de pele, como coceira e alergias; e problemas gastrointestinais. Além disso, esta planta também pode ser utilizada no tratamento de corrimento vaginal, infecções urinárias, vaginite, malária, dores de ouvido, varizes e pernas inchadas.

Como usar a vassourinha doce?

Todas as partes da planta podem ser utilizadas no preparo de chás e infusões e ela pode ser encontrada à venda em algumas farmácias de manipulação e lojas de produtos naturais. A vassourinha doce também é usada de modo externo, em banhos de assento. O emplastro de suas folhas verdes vaporizadas é utilizada nas picadas de inseto. Com a tintura, é preparado um xarope para tratar bronquite.

Chá para tosse

Adicione 10g de vassourinha doce a 500 ml de água e deixe ferver por 10 minutos. Após isso, deixe amornar, coe e beba três a quatro xícaras ao dia.

Contraindicações

O consumo da vassourinha doce é contraindicado para mulheres grávidas. É importante ressaltar a importância de consultar um médico antes de ingerir qualquer medicamento, inclusive o natural!

anabolizante natural Como ganhar músculos

anabolizante natural que têm a venda livre permitida e que estão entre os mais usados mundo afora.Resultado de imagem para anabolizante natural Como ganhar músculos

1. ZMA

A combinação de ZMA já se mostrou eficaz em diversas pesquisas no aumento da produção natural de testosterona. Aumenta os níveis anabólicos, gerando resistência, força e aumento da massa muscular. Este anabólico natural visa ajudar a melhorar com o relaxamento dos músculos durante o sono e na recuperação do tecido muscular no período pós-treino. Deriva da combinação de magnésio e zinco.

2. Arginina + Ornitina

Estudos demonstraram que a combinação dos aminoácidos arginina e ornitina foi eficaz no estímulo da produção natural do hormônio do crescimento (HGH).

3. Tribulus Terrestris

Feito a partir de uma planta medicinal, este anabolizante natural aumenta os níveis de testosterona, ajuda no crescimento e tonificação dos músculos e aumento da força muscular.
Publicidade

4. Cromo Picolinato

O uso de cromo picolinato visa melhorar o funcionamento do hormônio insulina. O objetivo é maximizar a produção, de forma a aumentar a quantidade de energia disponível nos músculos e ter um sistema mais eficiente de controle dos picos de insulina.

5. Extrato de Eurycoma Longifólia

Estimula a produção da testosterona naturalmente pelo organismo. Normalmente, quando o organismo atinge uma alta produção de testosterona, ele sinaliza a hipófise e ao hipotálamo para diminuírem a produção do hormônio. A Eurycoma Longifolia bloqueia este sinal para que o organismo possa continuar a produzir mais testosterona.

6. Quelato de calcio D-aspártico

Um dos ingredientes mais usados em fórmulas de anabolizante natural. Ele estimula a maior disponibilidade de testosterona em todo o organismo.

7. Coleus Forskholii

Pesquisas indicam que os extratos da planta indiana Coleus Forskholii, estimulam a maior produção de testosterona no organismo.

8. Beta Sitosterol

É uma substancia encontrada em plantas e é usada na medicina. Esse é um ingrediente presente como principal em muitas fórmulas para estimular a produção natural de testosterona.

9. N-Dimetilglicina

É uma aminoácido muito utilizado em fórmulas de anabolizantes naturais. Visa melhorar a utilização de oxigênio, aumentar a estamina e diminuir o acúmulo de ácido lático.

10. Fenugreek extract (extrato de Feno-Grego)

Alguns estudos sugerem que o extrato de feno-grego tem um efeito anti-estrogénico e anabólico. A erva parece provocar um aumento na disponibilidade de testosterona no organismo.
Mesmo se tratando de anabolizantes naturais, respeite sempre a dosagem diária recomendada. Vale a pena ter sempre acompanhamento de um médico ou nutricionista, mesmo porque, dependendo do seu tipo de treinamento esportivo, haverá um tipo de dieta e de dosagem indicada para cada caso, e tendo acompanhamento especializado, os resultados são mais eficazes.
O propósito do artigo foi dar uma ideia geral da diferença entre os tipos de anabolizantes, focar no anabolizante natural e em alguns tipos que são vendidos livremente, como alternativa aos ilegais. Estes são produtos de venda livre, ou com receita médica (em alguns casos no Brasil); Lembre-se que qualquer tipo de uso de substâncias pré-hormonais, complementos, suplementos e medicamentos devem ter acompanhamento de um profissional qualificado. Ser natural não necessariamente significa que ele é livre de efeitos colaterais.
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

quinta-feira, 27 de abril de 2017

fubá alimento


E o fubá?


Essa semana me perguntaram sobre o fubá, especificamente sobre a polenta, e realmente parei para pensar que nunca prescrevi ou coloquei como substituição a polenta no cardápio dos meus pacientes! O que ao meu ver, é uma falha, até mesmo porque agora no inverno um prato quentinho cai muito bem, então resolvi dar meu parecer sobre o uso do fubá.

Primeiramente é importante saber que o fubá é um carboidrato, e ele deve então ser incluso no cardápio como substituto ou complemento do arroz, macarrão, batatas, mandiocas, batata doce, inhame, cara, etc…
E vamos às calorias:
Arroz branco cozido- 100g – 124,69 calorias
Batata cozida- 100g – 87 calorias
Macarrão cozido 100g – 141 calorias
Polenta – 100g – 62,88 calorias.

Benefícios do fubá para a saúde

  • Pode ser consumido por celíacos, pois o fubá não apresenta glúten, a proteína proibida por quem apresenta a doença celíaca;
  • Muito bom no combate a anemia;
  • Deve ser consumido por mulheres grávidas, por ser fonte de ácido fólico, que é importante na formação do bebê;
  • É uma fonte interessante de fibras, que ajudam o funcionamento do intestino;
  • Não apresenta colesterol;
  • Ajuda pessoas convalescentes a ganharem peso.

– Sopa de fubá nutritiva
Em uma panela coloque 3 dentes de alho, 1/2 cebola e ervas de sua preferencia e 1 colher de sopa de azeite extra virgem. Não refogar.
Acrescente meio maço de couve picado grosseiramente. Tampe a panela e deixe cozinhar tempo suficiente para murchar a couve.
Já é hora de colocar 1 xícara de fubá dissolvido em 2 xícaras de água. Mexa bem. Tampe a panela. Deixe cozinhar por 10 minutos, não esquecendo de mexer de vez em quando, para não grudar no fundo da panela.
Prove o sal e sirva a seguir, bem quente.
Caso queira o caldo mais líquido, aumente a quantidade de água da receita.

Valores nutricionais do fubá em 100 gramas

  • Calorias – 370
  • Carboidrato – 79g
  • Proteínas – 7g
  • Fibras – 3.9g
  • Açúcares – 1.6g
  • Lipídios – 1.8g
  • Gordura saturada – 0.2g
  • Gordura poli-insaturada – 0.6g
  • Gordura monoinsaturada – 0.3g
  • Sódio – 7mg
  • Potássio – 142mg
  • Vitamina A – 214 UI
  • Cálcio – 3mg
  • Ferro – 1.1mg
  • Vitamina B6 – 0.2mg
  • Magnésio – 32mg

Fubá engorda?

Depende da quantidade, mas provavelmente sim. Fubá é uma fonte de carboidratos, altamente calórico, que vai propiciar o ganho de peso quando consumido em excesso.
Todo carboidrato vai ser transformar em açúcar, portanto, as pessoas que estão em dieta para perder peso e diabéticos precisam estar atentos.


4102241982_b8a4fd5901_o

Alimentação sem glúten: Como fazer

Como retirar o glúten da sua alimentação e que exames de sangue, fezes e
urina se deve fazer para saber se você tem intolerância ao glúten são 2
do pontos importantes que a nutricionista Tatiana Zanin (CRN3-15097)
explica neste vídeo.

Além disso, ela também explica que a dieta
para doença celíaca, sem glúten, é permanente e é a única forma de
tratamento para a doença, eliminando todos os sintomas como diarréia,
barriga inchada, cansaço, anemia e até dor de cabeça.

A doença
celíaca obriga o doente a comer de forma saudável para não ter
desconforto ou mal estar e no final das contas é uma coisa boa :)

Saiba mais sobre como rtirar o glúten da alimentação em:



listao alimentos COM e SEM Glúten

Lista de alimentos COM e SEM Glúten



Dizem os experientes na matéria, que as melhores dietas são aquelas que não contém glúten, mas o que muitas pessoas não sabem, é quais os alimentos que podem comer, e não podem comer, numa dieta sem glúten.

O que é o Glúten?

O Glúten é uma proteína, que é composta pela mistura de outras 2 proteínas: gliadina e glutenina.
Estas 2 proteínas podem ser encontradas nos mais diversos cereais, tais como: trigo, aveia, centeio e cevada!
Qualquer alimento que contenha um destes cereais, contém glúten, mesmo que seja em pequenas quantidades.

Lista de alimentos por ordem alfabética que contém glúten

Caso seja intolerante ao glúten, cuidado com os alimentos que come… Veja aqui nesta lista, os alimentos que contém glúten, e que caso não possa comer glúten, deve evitar:
  • Arroz Instantâneo;
  • Barrinhas de cereais;
  • Biscoito;
  • Bolacha;
  • Bolos;
  • Cachorro quente;
  • Caldo de carne;
  • Carnes empanadas;
  • Cereais;
  • Cerveja;
  • Cones de sorvete;
  • Cupcakes;
  • Curry em pó;
  • Donuts;
  • Gérmen de trigo;
  • Hambúrguer;
  • Hóstia da igreja;
  • Ketchup;
  • Macarrão;
  • Maionese;
  • Massas;
  • Massas de torta;
  • Molhos brancos;
  • Molho de soja;
  • Panquecas;
  • Pão;
  • Patê de carne;
  • Pizza;
  • Queijos (alguns);
  • Salgadinhos;
  • Salsicha;
  • Sêmola de trigo;
  • Shoyo;
  • Sopas desidratadas
  • Sorvetes;
  • Temperos industrializados;
  • Triguilho;
  • Torrada;
  • Xaropes e alguns remédios (fale com o seu médico para saber mais sobre medicamentos que contém glúten)
Basicamente todos os alimentos que contenham cereais, amido, trigo, etc, na sua composição! Atenção, muitos destes produtos já são vendidos no mercado, sem glúten! Leia com atenção o rótulo dos produtos que irá comprar, porque muitos deles não contém glúten

Depois de uma lista deste tamanho, a pergunta será: Então mas quais são os alimentos sem glúten?

Aqui tem a lista:

Lista de alimentos por ordem alfabética SEM glúten

Se não pode comer alimentos com glúten, tem aqui uma lista de alimentos sem glúten que pode obtar, constituida por: verduras, frutas e carnes.
Caso seja doente celíaco, a não ser que os outros alimentos tenham a indicação de que são livres de glúten, os alimentos que tem a certeza que não tem glúten são estes mesmo…

Frutas

No seu estado natural, as frutas não contém glúten, segue aqui a lista de frutas que pode comer sem problemas que não contém glúten.
  • Abacaxi
  • Açaí
  • Alfarroba
  • Ameixa
  • Amora
  • Banana
  • Caqui
  • Cereja
  • Cranberry
  • Damasco
  • Figo
  • Framboesa
  • Goiaba
  • Groselha
  • Kinkan
  • Kiwi
  • Laranja
  • Lima
  • Limão
  • Maçã
  • Mamão Papaia
  • Manga
  • Maracujá
  • Marmelo
  • Melancia
  • Melão
  • Meloa
  • Mexerica
  • Mirtilo
  • Morango
  • Pêra
  • Pêssego
  • Tâmara
  • Tamarindo
  • Tangerina
  • Uva

Vegetais

Tal como a fruta, os vegetais também são alimentos sem glúten. Veja a lista de vegetais sem glúten:
  • Abacate
  • Abóbora
  • Agrião
  • Aipo
  • Alcachofra
  • Alface
  • Alfafa
  • Alga
  • Alho
  • Araruta
  • Aspargo
  • Batata (inglesa e doce)
  • Beringela
  • Brócolis
  • Cebola
  • Cenoura
  • Cogumelos
  • Couve
  • Couve de Bruxelas
  • Couve-Flor
  • Ervilha
  • Espinafre
  • Feijão
  • Feijão Verde
  • Milho
  • Nabo
  • Pepino
  • Pimenta
  • Quiabo
  • Rabanete
  • Repolho
  • Rúcula Salsa

Carnes

As carnes são livres de glúten, desde que não sejam carnes empanadas, ou com molhos! Evite os molhos de carnes, geralmente são molhos que contém glúten. Veja aqui a lista de carnes sem glúten:
  • Búfalo
  • Cabra
  • Codorna
  • Coelho
  • Cordeiro
  • Galinha
  • Ganso
  • Pato
  • Peru
  • Porco
  • Vaca
  • Vitela

Ovos, Lactícinios e Derivados

  • Caseína
  • Creme
  • Creme Azedo
  • Iogurte – puro e sem sabor
  • Leite
  • Manteiga (certifique-se que não contém aditivos)
  • Ovos
  • Queijos (alguns!!! nem todos são livres de glúten, alguns contém glúten! cuidado)
  • Soro de Leite

Farinha, grãos e trigo

Cuidado aqui!!! As farinhas, grãos e trigos são os alimentos que contém glúten!! Mas ainda assim existem algumas excepções de farinhas, grãos e trigo sem glúten. Veja aqui a lista de farinhas, grãos e trigos sem glúten:
  • Amaranto
  • Amido de milho
  • Araruta
  • Arroz
  • Arroz integral
  • Besan
  • Dal
  • Farinha de Amêndoas
  • Farinha de arroz integral
  • Farinha de batata
  • Farinha de Ervilha
  • Farinha de Feijão
  • Farinha de Inhame
  • Farinha de milho
  • Farinha de Soja
  • Farinha de Tapioca
  • Fubá
  • Iúca
  • Levedo
  • Mandioca
  • Milhete
  • Pipoca – sem molhos
  • Polenta
  • Quinoa
  • Sagu
  • Semente de algodão
  • Semente de Linhaça
  • Teff
  • Trigo sarraceno

Outros alimentos que não contém glúten

  • Álcool (excepto a cerveja!!!)
  • Baunilha
  • Bicarbonato de Sódio
  • Calda
  • Castanhas
  • Ervas
  • Gelatina
  • Geléia
  • Goma Xantana
  • Mel
  • Óleos
  • Sementes
  • Suco
  • Temperos (alguns!!! verifique os rótulos)
  • Vinagre
  • Vinho
  • Vitaminas
Para além desta lista de alimentos sem glúten, existe ainda mais alimentos que não contém glúten, que hoje em dia, estão identificados nos seus rótulos que são livres de glúten! Alguns pãos, cereais, etc, produtos que geralmente consideramos que contém glúten, muitos deles já são feitos com farinhas e trigos sem glúten, sendo que não contém glúten. Mas atenção!!! – Veja sempre os rótulos do que compra e do que consome para verificar se contém ou não glúten.

alimentos sem glúten listão


Os alimentos sem glúten são:
  • Frutas;
  • Legumes e verduras;
  • Carnes e peixes;
  • Farinha de arroz, mandioca, amêndoa, milho, feijão, ervilha, soja, inhame;
  • Arroz, milho, amaranto, araruta, trigo sarraceno, quinoa;
  • Amido de milho (popular maisena);
  • Tapioca;
  • Fécula de batata;

    Frutas

    Frutas são livres de glúten em seu estado natural. Certifique-se de lavar todos antes de usar.
  • Açaí
  • Maçã
  • Damasco
  • Banana
  • Amora
  • Mirtilo
  • Meloa
  • Alfarroba
  • Cereja
  • Cranberry
  • Groselha
  • Tâmara
  • Figo
  • Uva
  • Goiaba
  • Melão
  • Kiwi
  • Kinkan
  • Limão
  • Lima
  • Mexerica
  • Manga
  • Laranja
  • Mamão Papaia
  • Maracujá
  • Pêssego
  • Pêra
  • Abacaxi
  • Ameixa
  • Caqui
  • Marmelo
  • Framboesa
  • Morango
  • Tamarindo
  • Tangerina
  • Melancia

Vegetais

Vegetais também são alimentos sem glúten naturalmente.
  • Alfafa
  • Alga
  • Araruta
  • Alcachofra
  • Rúcula
  • Aspargo
  • Abacate
  • Feijão
  • Brócolis
  • Couve de Bruxelas
  • Couve-Flor
  • Repolho
  • Cenoura
  • Aipo
  • Milho
  • Pepino
  • Beringela
  • Alho
  • Feijão Verde
  • Couve
  • Alface
  • Cogumelos
  • Quiabo
  • Cebola
  • Salsa
  • Ervilha
  • Pimenta
  • Batata (inglesa e doce)
  • Abóbora
  • Rabanete
  • Espinafre
  • Nabo
  • Agrião

Carnes

Carnes sempre são livres de glúten, a menos que sejam processadas com pães ou empanadas com farinha de pão. Evite molhos de carne, já que a maioria contém glúten.
  • Jacaré
  • Vaca
  • Búfalo
  • Galinha
  • Pato
  • Cabra
  • Ganso
  • Cordeiro
  • Porco
  • Coelho
  • Cobra
  • Peru
  • Codorna
  • Vitela

Ovos e Laticínios

  • Manteiga (certifique-se de não conter aditivos)
  • Caseína
  • Queijo
  • Creme
  • Ovos
  • Leite
  • Creme Azedo
  • Iogurte – puro e sem sabor
  • Soro de Leite

Farinha, Grãos e Trigo

É aqui que você tem que tomar cuidado e prestar muita atenção!
  • Farinha de Amêndoas
  • Amaranto
  • Araruta
  • Farinha de Feijão
  • Besan
  • Arroz integral
  • Farinha de arroz integral
  • Trigo sarraceno
  • Mandioca
  • Farinha de milho
  • Fubá
  • Amido de milho
  • Semente de algodão
  • Dal
  • Semente de Linhaça
  • Milhete
  • Farinha de Ervilha
  • Polenta
  • Pipoca – sem cobertura
  • Farinha de batata
  • Quinoa
  • Arroz
  • Sagu
  • Farinha de Soja
  • Farinha de Tapioca
  • Farinha de Inhame
  • Teff
  • Levedo
  • Iúca

Outros alimentos sem glúten

  • Álcool (a maioria, menos a cerveja, a menos que seja sem glúten)
  • Bicarbonato de Sódio
  • Ervas
  • Mel
  • Geléia
  • Gelatina
  • Suco
  • Castanhas
  • Óleos
  • Sementes
  • Temperos (a maioria)
  • Calda
  • Baunilha
  • Vinagre
  • Vitaminas
  • Vinho
  • Goma Xantana
Essa lista te ajudará quando você não tiver certeza se pode comer um alimento. Pergunte muito quando vai comer fora ou fazer compras. Leia todos os rótulos e tenha cuidado com o glúten escondido nos seus alimentos. Evite molho shoyu, molhos de salada, molhos de carne, caçarolas, farinha de pão, frios e cerveja – a menos que seja cerveja sem glúten.
Publicidade
Agora pode parecer que não é possível comer uma dieta sem glúten, mas não é difícil, apenas dê uma olhada no exemplo de cardápio sem glúten. Você precisa tomar cuidado e ter certeza de que os alimentos que está comendo são livres de glúten. A melhor regra é evitar alimentos processados e comer mais alimentos integrais.
Muitas empresas fazem alimentos sem glúten e comprá-los nunca foi tão fácil. Há até sites que vendem alimentos sem glúten e entregam na sua casa. Leia os rótulos, cheque informações e pergunte!
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)
Publicidade

Por que você precisou ou resolveu procurar por alimentos sem glúten? Quais alimentos são ou seriam mais difíceis ficar sem comer para você, em uma dieta sem glúten? Comente abaixo.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

segurar o xixi formação de pedras na bexiga


Segurar o xixi pode causar infecção e incontinência urinária
Esse hábito também aumenta o risco de formação de pedras na bexiga, provocando dor quando vão ser eliminadas, em alguns casos pode mesmo ser necessário uma intervenção cirúrgica para a remoção da pedra.
Crianças que tendem a ficar segurando o xixi por muito tempo, porque não querem parar de brincar, devem ser estimuladas a ir ao banheiro antes de ir dormir e logo que acordar. Além disso, a criança deve ser levada para fazer xixi pelo menos mais 4 vezes ao dia.

O que fazer para evitar doenças

Para que o corpo possa se manter devidamente hidratado deve-se tomar 2 litros de água ou outros líquidos por dia, assim é natural ter necessidade de ir ao banheiro 6 a 7 vezes.
Assim, para evitar as doenças relacionadas ao hábito de ficar segurando o xixi muito tempo é recomendado ir ao banheiro sempre que sentir vontade ou pelo menos de 4 em 4 horas.
Segurar o xixi pode causar infecção e incontinência urinária

domingo, 16 de abril de 2017

Guaraná - Fonte da Juventude



Guaraná
Foto: Reprodução


O guaraná, de nome científico Paullinia cupana Kunth, é um
arbusto encontrado no Brasil e na Venezuela, originário da Amazônia,
sendo cultivado, principalmente, na Bahia e no município de Maués, no
estado do Amazonas. O fruto do guaraná é rico em cafeína (chamada de
guaraína quando é encontrada no guaraná) e, devido às suas propriedades
estimulantes, é bastante utilizada na fabricação de pós, xaropes,
refrigerantes e barras; apresenta a casca na cor vermelha e, quando
amadurece, deixa aparecer a sua polpa branca e suas sementes,
parecendo-se com olhos. Os índios saterê-mawé, que habitam a região
próxima de Maués, possuem lendas sobre a origem da planta. Os benefícios
proporcionados pelo guaraná são decorrentes de seus constituintes, a
saber: cafeína, cálcio, fósforo, ferro, vitamina A, amido, catequina,
potássio, açúcares, taninos, teofilina, teobromina, proteínas e tiamina.
Saiba mais sobre as propriedades e os benefícios deste fruto:

As propriedades do guaraná

  • Adstringente;
  • Afrodisíaca;
  • Analgésica;
  • Antibacteriana;
  • Diurética;
  • Energética;
  • Revigorante;
  • Tônica.

Os benefícios e as indicações de uso do guaraná

O
guaraná é popularmente conhecido como uma grande fonte de energia, o
que é verdade: devido à sua elevada concentração de cafeína – maior do
que qualquer outro produto, inclusive o café -, o guaraná faz com que o
indivíduo se sinta física e mentalmente revigorado e estimulado para
desenvolver todas as suas atividades cotidianas.

Este fruto é
indicado em casos de estresse, cansaço físico e mental, impotência
sexual, falta de raciocínio, depressão, cefaléia, enxaqueca, hemorragia,
flora intestinal, males do estômago, gases, prisão de ventre e outros
problemas de saúde.

Além disso, o guaraná contém propriedades
antioxidantes que renovam as células do corpo, evitando o envelhecimento
precoce e o desenvolvimento acentuado de sinais de expressão, rugas e
outras características relacionadas ao envelhecimento.

O seu
consumo também é indicado para pessoas com tendência a desenvolver
diabetes, pois ajuda a manter os níveis de glicose no sangue estáveis. O
guaraná ainda auxilia no combate à pressão alta (ou muito baixa), por
causa de sua capacidade de dilatar os vasos sanguíneos e permitir que o
sangue, em conjunto com oxigênio e nutrientes, circule melhor pelo
organismo, mantendo a pressão controlada. Atua, também, no processo de
emagrecimento.

Qual é a melhor forma de consumir o guaraná?

Para
obter todos os benefícios proporcionados por este fruto, a melhor forma
de consumi-lo é em pó. Para isso, basta dissolver uma colher de sopa do
pó de guaraná em um copo de água, suco ou leite.





terça-feira, 30 de agosto de 2016

Participe e ganhe inteiramente grátis o Livro 10 Sucos Detox EXTERMINADORES de Gordura.


Participe e ganhe inteiramente grátis o Livro 10 Sucos Detox EXTERMINADORES de Gordura.
Data prevista: 31/12/2016
123 dia(s)
Foto promoção
Faça o seu cadastro no link: http://bit.ly/29QQkVU-livro-detox e recebe imediatamente o livro e você está automaticamente participando do sorteio do Guia Definitivo do Emagrecimento, veja a seguir a regras para participar, não se esqueça de compartilhar os links da promoção.


As regras do sorteio são simples:
1 - Faça o seu cadastro na página: http://bit.ly/29QQkVU-livro-detox
2 - Compartilhe o link da promoção em seu mural: 
https://www.sorteiefb.com.br/tab/promocao/5722793 - Curta nossa Fanpage : https://www.facebook.com/Crischerer/4 - Comparilhe o link do Plano Detox em seu mural: http://bit.ly/29MKu5y-Post-detox
5 - Só será aceito como ganhador o que fizer o cadastro e o compartilhamento dos links acima. 
! ajude com uma doaçao dados para deposito banco do brasil agencia 06432 conta 263508

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

chá de iboga para cura do vício de crack


Mineiros dependentes de crack aderem ao chá de iboga para cura do vício

Eles dizem ter se livrado do vício após tratamentos em clínicas de SP. Médicos alertam para falta de pesquisas sobre a raiz e dizem que há efeitos colaterais perigosos

 

Beto Magalhaes/EM/D.A Press.
Desesperados para se livrar do crack, dependentes químicos e familiares de Minas Gerais estão buscando o tratamento alternativo do chá de iboga em clínicas de recuperação no interior de São Paulo e em Curitiba. A dose, única, custa entre R$ 4 mil a R$ 10 mil e não requer a internação do paciente. Apesar da falta de comprovação científica e dos riscos existentes de ministrar substância sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os viciados em drogas pesadas, como cocaína e crack, recorrem ao uso desse fitoterápico, que seria capaz de eliminar a vontade de usar drogas e a síndrome de abstinência (fissura).

Relatos obtidos pela equipe de reportagem do Estado de Minas chegam a atribuir à iboga o poder de ‘cura’, de ‘renascimento’, de ‘apagar o passado’. “É uma sensação deliciosa acordar sem a menor vontade de usar droga, sem medo da recaída. A vontade simplesmente apagou-se da minha mente”, comemora o dono de bancas de jornais Wagner do Patrocínio, de 43 anos. Em função do envolvimento com o crack, Wagner caiu na sarjeta – usava até 20 pedras por dia. Ele passou um ano internado, em duas clínicas mas continuou com recaídas.

Há três meses, Wagner aceitou experimentar a iboga por influência da mulher, Angela Chaves, que descobriu a novidade em SP. “Bebi um pó parecido com canela, misturado na água. Na hora, é preciso deitar porque a gente perde o jogo das pernas. Depois, começa a ‘ver’ um monte de cenas ruins. Pessoas sendo esfaqueadas, coisas com chifres, bichos. A sensação dura umas cinco horas. Depois, você toma a segunda dose. Os pensamentos ruins somem e vêm coisas boas, como anjos”, revela ele, que recomendou o tratamento ao colega João Paulo Barbosa Neto, de 34 anos (leia Depoimento). “Voltei a ter vida social com minha mulher e minha filhinha”, diz Wagner.

O psiquiatra Dartiu Xavier, diretor do Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes de Drogas da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), aplicou a dose de iboga a 75 voluntários. Do total, 51% dos pacientes conseguiram largar a dependência química. “A taxa de sucesso é alta. Chega a ser 10 vezes maior em relação à média de 5% de recuperação registrada nas internações em comunidades terapêuticas”, compara o psiquiatra.

 Este semestre, o psiquiatra dará entrada no Comitê de Ética da Unifesp com protocolo de estudo científico, inédito no país, na tentativa de comprovar a eficácia do uso da iboga no controle da dependência química em álcool e drogas. Caso seja aprovado, o ensaio clínico deverá comparar a reação dos viciados em crack, divididos no grupo que vai ingerir placebo e no outro, que receberá a fórmula original. “Mas os resultados serão a médio prazo”, alerta o pesquisador. Não há previsão de que, quando finalizados os trabalhos, a iboga possa ter autorização para ser usada como medicação controlada no Brasil.

Uso perigoso
Com formação em homeopatia, o psiquiatra Aloízio Andrade alerta que já é velha conhecida da medicina a técnica de propor aos pacientes a substituição de uma droga por outra. “É mais fácil e rápido abrir mão de uma substância nova do que da outra que já está usando há muitos anos. O que se faz é quebrar o ciclo vicioso do paciente, com a mudança do paradigma”, explica o médico. Segundo Andrade, que desconhece o uso da iboga em Minas Gerais, este papel costuma ser atribuído a alucinógenos ligados a rituais, sendo os mais populares a ayuaska e a mescalina.

Para Andrade, toda substância que age no sistema nervoso central pode desencadear quadros psiquiátricos e também neurológicos nos pacientes, como por exemplo convulsões. “Sem estudos científicos, não há clareza sobre a dose correta a ser oferecida por quilo de peso”, diz.

Beto Magalhaes/EM/D.A Press.
Assim como Andrade, o psiquiatra gaúcho Félix Kessler admite nunca ter testado a iboga em seus pacientes. Professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), o psiquiatra Félix Kessler desconfia, por princípio, de promessas rápidas de cura para a dependência química. “Quem dera eu tivesse um remédio que pudesse dar aos meus pacientes na clínica. Descobriram que o tratamento alternativo dá bastante dinheiro e a onda de que a ibogaína cura o crack está pegando”, avalia o médico, para quem a melhor receita continua sendo o tratamento a longo prazo, com abordagem multidisciplinar e grupos de autoajuda. “O maior desafio é estimular o craqueiro a dar continuidade ao tratamento. É uma doença crônica como o diabetes – quem a tem enfrenta dificuldades para evitar doces”, completa.

Segundo a Anvisa, não há nenhum medicamento registrado no Brasil com o princípio ativo ibogaína. Dessa forma, a atribuição de alegações terapêuticas a este produto é ilegal, já que não há essa comprovação no Brasil. Entretanto, é legítima a importação de medicamentos sem registro no País, desde que para uso apenas pessoal e amparada pela prescrição de um médico que se torna o responsável pelo uso do produto.

Spa explora brechas na legislação


 “Por uma brecha na lei brasileira, consigo trabalhar com a iboga na forma de chá”, afirma o psicanalista clínico Gadyro Nakaya, dono do Spa Reabilit, em Arujá, no interior paulista. O spa é uma das entidades que trabalham com a substância. Amparado por cinco advogados, Nakaya já está importando mudas do arbusto no continente africano. Ele acredita no potencial de cura da planta que, criada em condições especiais na estufa em SP, ainda deve levar em torno de 10 anos para começar a produzir.

Ex-dependente químico de heroína, Nakaya diz ter se submetido a 40 internações no passado e que só conseguiu se livrar do vício após conhecer a substância. Ele garante que, em quatro anos, já “ibogou” centenas de pessoas em SP, inclusive artistas de tevê e músicos. “Acolhi um casal que passou a morar aqui comigo há um ano. Eles trabalham como caseiros do sítio. Os dois continuam limpos”, afirma ele. A clínica, registrada inicialmente como um spa, conta com clínico-geral e psiquiatra.
Antes de tomar a iboga, os pacientes são submetidos a uma bateria de exames, que comprovem abstinência de substâncias tóxicas de, no mínimo, sete dias. Depois, assinam um termo de responsabilidade. Só então são internados para ingerir a dose, que varia de acordo com o caso. O transe varia de 24 a 36 horas. A compulsão por drogas cessa ao final da “viagem”.   
No Instituto Brasileiro de Terapias Alternativas (IBTA), em Paulínea (SP), a atendente informa que é oferecida a iboga junto a terapias e medicina ortomolecular, segundo ela como forma de potencializar o efeito da substância. O tratamento dura cinco dias, com índice de 70% a 80% de recuperação. “A iboga corta a vontade de usar a droga, mas a pessoa precisa querer deixar a vida de viciado”, alerta. Há mais de 10 anos no mercado, a Clínica Cleuza Canan, de Curitiba (PR) solicitou o envio de perguntas por e-mail. Até o fechamento desta edição, porém, as perguntas não haviam sido respondidas.
Tags:

 

! ajude com uma doaçao dados para deposito banco do brasil agencia 06432 conta 263508

MUTAMBA PLANTA TROPICAL NO BRASIL,CURA CONTRA O VIRUS HIV-AIDS MAIS DE 100 CASOS DE PACIENTES COM SUCESSO INOCULADAS


UMA CURA E ENCONTRADA CONTRA O VIRUS HIV-AIDS COM UMA PLANTA TROPICAL NO BRASIL CHAMADA MUTAMBA

CIENTÍFICO ENCONTRA A CURA CONTRA O VIRUS HIV-AIDS COM UMA PLANTA TROPICAL NO BRASIL, COM MAIS DE 100 CASOS DE PACIENTES COM SUCESSO INOCULADAS
Por fim, a cura deve ser disseminada para a população infectada globalmente.
Documento Importância: Muito Alto.
Grau de sensibilidade: Muito sensível.
Tipo de documento: Scientific.
Por: CENIC SAÚDE Div.
(fonte Científico: Dr. Paulo Antônio Rodrigues Gouveia)
Araguaina-BRASIL.-AGPROG (05-09-2014).- Um equipe de investigação na cidade Institute Brasil Presidente Antonio Carlos Tocantinense (ITPAC) Araguaína, na cidade brasileira do norte do estado de Tocantins, descobre com sucesso a cura HIV / AIDS, com base em pesquisas de trabalho duro ao longo de 10 anos, no âmbito do Projeto Cientista e Dr. Antonio Rodrigues Paulo Gouveia, investigando as propriedades da planta tropical chamado Mutamba (Guazuma ulmifolia) para o atualmente mais de 100 casos documentados de pacientes inoculados com sucesso em laboratório, em todos os testes, e desde dezembro 2013 agora permanece apenas a distribuição e aplicação em todo o mundo para todos os pacientes infectados e respectivo financiamento um órgão mundial ou governo, que pode ser contactado com o líder do Projeto Mutamba, como eu lhe chamo. Farmacêutica Grande, OMS e da OPAS não ter contactado porque o cura é descoberta finalmente, mata o vírus, no prazo de oito meses após a aplicação da droga, e não é contínua no tempo, ao contrário de dividendos e receitas que podem ser obtidos através de (corrente convencional anti-retroviral) da ARV, que oferecem as empresas de lucro mais elevadas, até a morte do paciente, sem inoculante. A equipe do Dr. Antonio Rodrigues Paulo Gouveia pesquisa supostamente está disposta a fornecer o apoio e colaboração das nações ou governos diretamente ou agências e instituições científicas luta que exigem, se necessário, para inocular infectados.
MUTAMBA TITMAIN port
Cientista do Projeto Dr. Antonio Rodrigues Paulo Gouveia
Dr. Antonio Rodrigues Paulo Gouveia, Advanced Project Manager, exige várias nações progressistas do mundo e aqueles que desejam participar e instituições livres em várias nações, para que eles possam entrar em contato com você e fazer a produção em massa do composto, com sua equipe, para implementar a planta piloto de produção, o processo de fabricação é simples, natural e segura, diz eli.
Em todo o mundo existem mais de 40 milhões de pessoas infectadas, só em 2014, dados recentes mostram que só no Brasil, existem pelo menos 750.000 infectados e vai progressivamente aumentando, mesmo em grupos sem risco. Dr. Antonio Rodrigues Paulo Gouveia informou, não é um trabalho para apenas uma pessoa, mas uma equipa organizada e científica, que trabalham com regras e diretrizes, e agora está pronto para trabalhar para o doente e para o planeta e insiste que é o trabalho de todos para derrotar o vírus. A cura está agora disponível para distribuição imediata aos afetados globalmente, de agosto de 2014, através de uma agência responsável diz o cientista, não esperando indica doente e pode entrar em contato e publicado pela mídia. Governos e nações Informa pode entrar em contato através de seus ministérios e instituições para implementar Saúde Legal protocolo inoculação imediata e incluir em seus programas padrão do HIV.
O QUE É AIDS?
A SIDA é uma doença caracterizada por uma disfunção grave e progressiva do sistema imunitário infectados com o vírus da imunodeficiência humana individual (HIV). Sua evolução pode ser dividida em três fases: infecção aguda, semanas após a infecção inicial pode ocorrer com manifestações como febre, calafrios, sudorese, mialgia, dor de cabeça, dor de garganta, sintomas gastrintestinais, linfadenopatia generalizada, e erupção cutânea . A maioria das pessoas desenvolvem sintomas de auto-limitação desaparecem após algumas semanas. No entanto, a maior parte não são diagnosticados por causa da semelhança de outras doenças virais. Em seguida, o paciente entra em uma fase de infecção assintomática, duração variável de alguns anos. Doença sintomática da SIDA, que é a sua manifestação mais grave ocorre na medida em que o paciente irá apresentar perturbações significativas de imunidade com a ocorrência de febre prolongada, diarreia crónica, perda de peso significativa (mais do que 10% em peso acima do indivíduo), suores nocturnos, fadiga e linfadenopatia. Infecções oportunistas começam a surgir ou reaparecer, como tuberculose, pneumonia por Pneumocystis carinii, toxoplasmose cerebral, oroesofágica candidíase, meningite criptocócica e retinite por citomegalovírus, entre outros. Rara em indivíduos imunocompetentes, sarcoma e linfoma e certos tipos de tumores podem surgir a partir de sarcoma, caracterizado condição SIDA. A ocorrência de graves ou atípicas de doenças tropicais, como paracoccidioidomicose, leishmaniose e doença de Chagas formas têm sido observadas no Brasil.
aids2
O virus da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS)
A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) ou “síndrome da imunodeficiência adquirida” (AIDS) começou a se espalhar entre a população a partir de 1980, fez com que milhões de pessoas infectadas, e milhões de mortes e do número de portadores do vírus está a aumentar de forma alarmante a cada ano, aumentando o seu número, incluindo os que estão fora dos grupos de risco ou de risco e isso é alarmante.
DIAGNÓSTICO AIDS
O laboratório para HIV-A, encontrando técnicas para quantificar anticorpos, antígenos, material genético por meio de técnicas de biologia molecular (carga viral) ou isolamento do vírus direta. Na prática, os testes que buscam anticorpos (sorologia) são os mais utilizados. O aparecimento de anticorpos detectáveis ​​por sorologia é um período médio de 6 a 12 semanas após a infecção inicial. Chamado de “período de janela” que o intervalo entre a infecção ea detecção de anticorpos por técnicas laboratoriais padrão. Durante este período, o teste sorológico pode ser jogado ou falsos negativos. Devido à importância de diagnóstico laboratorial, em especial, as consequências da “etiqueta” de um indivíduo como HIV positivo e têm uma maior segurança no controlo de sangue e seus derivados qualidade, recomenda-se que o teste detecção de reagentes de laboratório de uma possível primeira amostra foi repetido e confirmado como exigido pelas regras estabelecidas pelo Ministério da Saúde.
TRATAMENTO DA AIDS
A terapia anti-retroviral -A dirige a prevenção da replicação viral, com diferentes drogas que têm como alvo vários estágios do ciclo replicativo. Drogas anti-retrovirais actualmente disponíveis para o tratamento do HIV são vários inibidores da transcriptase reversa que actuam antes da incorporação do material genético do vírus dos inibidores da protease do cromossoma do hospedeiro e, em seguida, que actuam neste passo, e evitar formando viriões proteínas funcionais, isto é, o vírus infeccioso. O cocktail é uma combinação de dois fármacos (Chi et al., 2004).
Os inibidores de transcriptase reversa do vírus pode impedir a alterar o seu código genético no ADN-ARN, a operação necessária para multiplicar no interior das células (Costi et al, 2004).
Vários compostos naturais são utilizados nos estudos de inibição de transcriptase inversa retroviral do HIV, incluindo são taninos, compostos fenólicos, estes são caracterizados pela sua capacidade de combinar com proteínas ou outros polímeros, tais como polissacáridos (Buolamwini e Assefa 2002 ).
Desde o surgimento do vírus da Aids, a medicina tem buscado tratamentos que podem aumentar a expectativa de vida dos pacientes. O mais eficaz até agora, tem sido chamado de cocktail, que consiste em comprimidos pacientes precisam tomar diariamente para combater a doença, chamados de ARVs. Para alguns HIV-positivo, o tratamento é o martírio, porque eles sofrem com efeitos colaterais, como náuseas, diarreia, dores de estômago e dores de cabeça motivados pelo uso contínuo de medicamentos e os efeitos colaterais nocivos sobre seus corpos e prematuro envelhecimento do corpo. Mas estes só parar o vírus, mas não eliminá-lo do corpo.
SOBRE O DESCOBRIDOR DO CIENTIFICO E DA CURA
Apesar dos avanços, muitos pesquisadores em todo o mundo ainda estão tentando encontrar uma cura para a doença tornou-se uma epidemia mundial. Mas foi em Tocantins, o médico e cientista Dr. Paul Anthony Rodrigues Gouveia (Paulo Antonio Rodrigues Gouveia), que em entrevistas exclusivas vários jornais nacionais: o portal Norte, o Diário Oficial ou Progresso e Araguaia Notícias, ofereço o detalhes específicos de sua pesquisa e descoberta importante, com base em um projeto de pesquisa, estudando a cura, agora curto de pessoas com HIV.
Ele viveu por 40 anos em Araguaína, Brasil, Dr. Paulo Gouveia, ele trabalhou como técnico de laboratório no Hospital de Doenças Tropicais (HDT) e formou-se em medicina por quatro anos no Instituto Presidente Antonio Carlos Instituto Tocantinense (ITPAC) Araguaína . De acordo com um boletim oficial, trabalhando na área da saúde no Estado e Município e oferece cursos de formação e conferências, há dez anos realiza pesquisas científicas que podem mudar o curso da história da medicina na busca de uma cura AIDS, com resultados muito positivos. Ele descobriu que, por meio das propriedades de uma planta chamada Mutamba, nativa do norte da clínica pode curar esta doença.
Dr. Paulo Gouveia, não só estudou as propriedades da planta, mas também desenvolveu o projeto da cura, que é oficialmente patenteado no Brasil e da comunidade científica.
MUTAMBA
A Mutamba é uma planta tropical chamada nome científico, Guazuma ulmifolia, Família Malvaceae (Antigamente Stherculiaceae). Mutamba, é uma palavra tupi guarani que significa “fruta dura”, também chamado Guazuma, Mutambo, Araticum bravo, Head-to-negro, fruta ou Macaco Chico-magro.
Origem: Nascido em várias formações florestais da América Central e do Sul, aparecendo preferencialmente nas florestas do Brasil.
mutamba5
Guazuma ulmifolia, Família Malvaceae (Antigamente Stherculiaceae). Mutamba
JUSTIFICAÇÃO
A base teórica da pesquisa do Dr. Paulo Gouveia, o trabalho de seu avô, também cientista Dr. Francisco Cabral de Melo, especialista farmacêutico, formado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 1946, baseia-se Faina – Goiás, juntamente com colaboradores, tratamentos de documentos em vários pacientes com febre amarela, usando tanino (acúmulo de carbono, hidrogênio e oxigênio) da planta popularmente conhecida como Pithecellobiun Mutamba ou, em testes de plantas típicas região norte, e com um prognóstico favorável, com vários pacientes já tiveram a cura em 100% dos casos, sem evidência de toxicidade em nenhum deles, sendo um produto natural.
O tanino substância contendo Mutamba da planta, através da parede celular e do citoplasma atingir o vírus HIV mesmo em lugares distantes como lingonodos.
INICIO DO PROJETO E TESTEMUNHO
O cientista explica: projeto Mutamba começou há dez anos, minha mãe sempre falava sobre meu avô Francisco Cabral de Melo, farmacêutico, meu avô estava em tratamento em 1946 pacientes com febre amarela, com uma taxa de cura de cem por cento. Mais tarde, um médico, comecei a pesquisar e encontrei o Guazulma ulmifolia mais conhecido como (Mutamba). O cientista, então, realizada uma pesquisa e começou a apresentar o projeto em 23 de outubro de 2010, apresentou o projeto em Porto Alegre em Pastoral Aids, pouco depois, conseguiu um contato laboratórios Kyolab, com os quais foram realizados e outras evidências de inibição foram de 30 por cento, os testes foram feitos pelo Dr. Amilcar Tanure, um dos melhores cientistas e pais de citologia, Dr. Amilcar Tanure realizada reteste, que foi de 100 por cento do inibição sem citotoxicidade, agora, após quatro anos de muitas lutas, nós estamos aqui para dar continuidade ao projeto funcional. Precisamos do apoio de toda a sociedade, para que este projecto avance que vai ajudar as pessoas, não só no Brasil, mas em todo o mundo, para superar esta doença.
DESCRIÇÃO DO PROJETO
Os seus estudos demonstraram que a casca e entrecasca Pithecellobiun conhecido como (Mutamba) são ricas em componentes com propriedades farmacológicas. Este apresenta alcalóides triterpeno e uma quantidade significativa de tanino (Costi et al. 2004).
As propriedades de taninos são ligados à sua capacidade para formar complexos de proteínas envolvidas na protecção de tecidos, em comparação com o ataque microbiológico. Ele também dá as propriedades gustativas agrupadas sob o termo adstringência, tem anti-radicais livres e pode consumir a energia do oxigênio dissolvido, ou seja, têm propriedades farmacológicas interessantes e função antioxidante também mostram atividade potente contra a replicação do HIV (Cocuzza, 2001).
ESTUDO GERAL
Para identificar a eficácia do substrato planta Pithecellobiun (Mutamba) como um inibidor da transcriptase inversa na replicação viral (a polimerização de moléculas de DNA a partir de moléculas de RNA enzima, muitas vezes o oposto do que acontece em células) do HIV, com redução do risco de toxicidade.
ESTUDO ESPECIFICO
  • identificar o peso molecular de tanino, que tem uma acção inibidora da transcriptase inversa retroviral do HIV, com um menor risco de toxicidade.
  • Promover a redução da carga viral, preservando a função do sistema imunitário.
  • Retardar a progressão da doença, modificando a história natural do HIV.
JUSTIFICATIVA DO ESTUDO
Embora o início da terapia, diminui a partículas virais indetectáveis​​, o vírus persiste nos vasos no corpo, tais como linfócitos T adormecido. A aparência e a taxa de desenvolvimento de resistência a várias combinações de drogas disponíveis no mercado o stress é também um factor limitador. No entanto, um fator que torna ainda mais difícil para a terapia anti-HIV é a alta incidência de efeitos colaterais causados ​​por medicamentos disponíveis hoje. Estudos realizados por Ligani Jr. e seus colegas mostraram que esta é a principal causa de falhas na adesão à terapia anti-retroviral (20,5%), que é caracterizada principalmente por vômitos, diarreia, náuseas e dor abdominal, bem como dor cabeça e até mesmo mudanças na cor da pele.
O uso de plantas medicinais é o resultado do acúmulo secular de dados empíricos sobre o estoque de conhecimento sobre as plantas de diferentes grupos étnicos. Eles são relevantes para a padronização da produção e comercialização de técnicas de ervas questões importantes, no entanto (De Clercq, 2000).
As ervas encontrados em quantidades relativamente elevadas de compostos fenólicos. O seu papel é essencial para proteger os tecidos contra o ataque de insetos, fungos ou bactérias. É considerado um sistema de defesa passiva relativamente eficiente. As plantas também podem produzir grandes quantidades de fenóis de uma alteração na superfície das células vivas: protecção está activa. O melhor exemplo é dado pela picada de insetos nas folhas que são a fonte de galhas.
Durante dez anos árvore Mutamba foi observado e percebi que em algum momento no ano, teve uma forte presença de galhas, seca atingindo quase 70% comprometimento da árvore e, a cada dia que passa a planta estava se recuperando, mostrando resistência à praga que anteriormente alcançado.
Em 1946, Faina – GO, testes especialista Francisco Cabral de Melo, Farmacêutica UFRJ, e colegas conduziram, não documentadas em pacientes com febre amarela, usando Mutamba tanino, que tem um baixo peso molecular, com um prognóstico favorável e cura ele foi bem sucedido em 100% dos casos, sem evidência de toxicidade em qualquer um deles, uma vez que é um composto natural.
Moléculas de taninos foram testados com a intenção de encontrar uma droga eficaz contra o HIV. Kilkuskie e colegas observaram galotaninos pesquisa mostrou atividade inibitória apenas em concentrações tóxicas, elagitaninos e taninos condensados ​​inibir a replicação viral e os taninos complexos mostraram potente atividade contra a replicação do HIV. Eles concluíram que a actividade anti-HIV por taninos exibida é devido à inibição da transcriptase inversa, impedindo assim a replicação viral.
Isso justifica a alta relevância da pesquisa com uma menor taninos peso molecular e menor toxicidade.
ESTUDO DOCUMENTADO DE CASO CIENTÍFICO PARA EXEMPLO
DBDS extrato paciente, de 47 anos, do sexo masculino, HIV estado +/- há 10 anos, ela começou o tratamento com Pithecellobiun (Mutamba), em 22 de janeiro de 2011, usado por 30 dias e realizou os seguintes exames :
Hemograma completo (03/02/11)
HT: 46,0%
Hm: 5,04
Hb: 16.10
Plaquetas: 126.000
Leucócitos: 3000
Objetivo: 62
Total de Linfócitos: 34
Em linfócitos: 1020
B: 3
Hemograma completo (25-08-11)
Ht: 39%
Hm: 4.3
Hb: 13
Plaquetas: 144.000
Leucócitos: 4200
Meta: 46
Total de Linfócitos: 44
Relacionados: 1848
PCR PCR quantitativo (22/09/2011) – Laboratório Alvaro. Método RT – PCR (abade verdadeiro HIV Equipe I)
Resultado: não detectado
Referência: não detectado
O tratamento com o tanino extraído Pithecellobiun na inibição da transcriptase reversa do HIV de PCR para zero. O hemograma completo foi feito no final de oito meses e foi normal.
RESULTADOS
Diante dos resultados, o Dr. Gouveia, tem vindo a testar as moléculas de taninos Mutamba, com a intenção de encontrar uma droga eficaz contra o HIV desde que de acordo com a pesquisa, o vírus da febre amarela e HIV são iguais em termos de estrutura. Em entrevista, o médico especialista, explica o tratamento dirigido a duas pessoas com HIV. Oito meses após a conclusão do seu tratamento, e os testes de PCR específicos, como exames de sangue que detectam a carga viral foram negativos em relação ao diagnóstico da evolução da doença. Isto significa que os vírus se replicar, eles pararam em sua multiplicação no corpo dos pacientes, “Eles se viraram para zerar a carga viral, e restaurado em 15 kg ou 10 kg de peso corporal, a eficácia do tratamento está praticamente comprovado” diz o cientista e médico, explicando que agora os cientistas e revisões técnicas Biópcia é comprovada a eficácia do produto e 100%. Dr. Gouveia também explica que, porque é um remédio natural, não tem contra-indicações e não há continuidade impedimento ético-moral e massa pode ser aplicada na população infectada. O tratamento é apenas para pessoas que foram identificadas com o vírus HIV.
TRATAMENTO EFICAZ SOBRE O PROTOCOLO PARA HIV
Gestão do Tempo:
Gestão do Tempo:
O tratamento para pacientes com HIV, dura apenas 30 dias.
Ingredientes básicos de cura natural:
Como a droga ainda não é quimicamente tratada, o médico dá a simples receita de como preparar o remédio na mão para consumo:
– Cinqüenta folhas de os topos das árvores maduras
– 2 litros de água
preparação:
As folhas devem ser misturados com 200 ml de água pura e moído num misturador.
Após este procedimento, adicionar 1800 ml de água remanescentes. O paciente deve tomar a medida de um liquidificador 200 ml, 2 vezes ao dia, a cada 12 horas. Este deve ser administrada todos os dias, durante trinta dias consecutivos.
COMENTÁRIOS
O médico ressaltou que o tratamento eficaz apresentada pode depender da região em que a planta é Mutamba. Neste caso, sua eficácia tem sido comprovada em plantas que originaram no clima e altitude dos estados de Goiás e Tocantins. “Você não pode fazer todas as plantas de outras regiões”, adverte.
PROTOCOLO DE TRATAMENTO DE HIV AIDS
O protocolo completo para o tratamento do vírus HIV, está amplamente descrita na seguinte relação:
PESQUISA DE PROPIEDADE
A descoberta foi patenteada e 19 outubro de 2010, a pesquisa Dr. Gouveia, segundo ele, já está liberado pelo Instituto Nacional de Patentes, chamou a atenção para as doenças infecciosas ou especialistas em doenças infecciosas de várias partes do Brasil e o mundo, visando realizar o tratamento de pacientes HIV-positivos. Em colaboração com especialistas em doenças infecciosas e realizar o tratamento de uma centena de pacientes Araguaína.
PRÓXIMO PASSO
No final da entrevista, o Dr. Gouveia informa que o pedido enviado pelo Centro de Investigação ITPAC através do coordenador do curso de Medicina, Dr. Elvio Machado, a fim de continuar os estudos no comando do Instituto, “A aplicação foi bem recebido pelo coordenador.
TESTE
Nós teste e reteste em vitrio com 100% de inibição, sem citotoxicidade, e seguiu os pacientes inoculados, todos com sucesso.
As pessoas infectadas com o HIV, que usaram o extrato Guazulma ulmifolia (Mutamba) foram tratados em grande número, atualmente tem mais de uma centena de pessoas compareceram a zero a carga viral e CD4 padronizado, com documentação completa do processo bem sucedido.
APOIO DO GOVERNO E EMPRESAS E NECESSARIO
E, atualmente, projeto eficaz e comprovada ainda não tem o apoio do governo federal ou de instituição médica. Atualmente, o projeto de pesquisa tenha sido pago por fundos e recursos.
Apoio para que se deseja é necessário inocular tantos doentes e ajudar as pessoas em todo o mundo. O apoio do governo de governos em todo o mundo, em cada país para eliminar completamente o vírus vai precisar.
Por isso, o apoio de todos os governos e as organizações sociais, instituições que vivem é necessária para ajudar a impedir que o vírus HIV e AIDS Project trazer Mutamba atingir os objetivos iniciais de cura para o grande número de pessoas infectadas e que sofrem de este mal.
LISTA DE VIDEOS
https://www.youtube.com/watch?v=cCnPgaMYEr0&list=PLOyK5NwgRB1Xbtkg8oryIdU8SXQ6-kIP4
CONTATO DIRECTOR DO PROJETO MUTAMBA CONTRA HIV
Médico e Científico- CRM-2107-TO Project Manager
Dr. Paulo Antônio Rodrigues Gouveia
Brasil, residente na Rua, número 236, Setor Couto, Araguaina
CONTATO E CORREIOS PARA OS GOVERNOS E INSTITUICOES CIENTIFICAS:
E-mails:
Primário: paulogouveia.gouveia@bol.com.br (Projeto Global CHEFE).
Secundário: paulogouveia.gouveia@gmail.com
Call Center – CENIC MUTAMBA: cenic-mutamba@gmx.com
telefone:
Centro de Pesquisa: +55633414 0719
Chefe Global de telefone móvel do projecto: +5563 9263 2664
LIBERAÇÃO DE DESCOBRIMENTO NOS MEIOS
Ver relatos generalizados de descoberta:


<iframe width="614" height="376" src="https://www.youtube.com/embed/XNq-DZeCdFg" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>
 
 
<iframe width="614" height="376" src="https://www.youtube.com/embed/ELDtRIpW5-o" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>
 
 
<iframe width="614" height="376" src="https://www.youtube.com/embed/ol-B5ykpxtg" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>
! ajude com uma doaçao dados para deposito banco do brasil agencia 06432 conta 263508

Medicamentos e Indicacoes cura tudo

Medicamentos e Indicacoes

Abacateiro:
abacate
  • Parte usada: Folha, fruto e semente. Usar de preferência as folhas mais velhas e dos abacateiros que tem os frutos em formato de pescoço e casca lisa.
  • Indicações: Retenção de líquidos no organismo, afecções das vias geniturinárias, cistites, uterites, perturbações hepáticas e deficiência de secreção biliar, nutritiva (fruto), creme de beleza (fruto).
  • Posologia:
  1. Coloque 3 g. (duas folhas) cortadas em pedaços bem pequenos em uma caneca de louça. Ferva uma xícara de chá de água e coloque sob as folhas. Abafe, coe e tome uma a duas xícaras ao dia.
  2. Decocto: Coloque uma folha de abacateiro, uma folha de goiabeira, uma folha de pitangueira, tudo cortado em pedaços bem pequenos em uma xícara e ½ de chá de água. Ferva por 3 minutos. Abafe, coe e tome uma xícara após cada evacuação.
  3. Extrato: A semente ralada é colocada em 100 ml de álcool. Deixe descansar por uns três dias. Coe e faça fricções suaves nas partes doloridas.
Acácia-Bastarda
acácia
  • Partes usadas: Flores e folhas.
  • Indicações: Anemia, cefaléia, estômago, fígado, indigestão.
  • Posologia: Maceração: 15 a 20 g. de flores em 1 L. de vinho tinto, para preparar xaropes, e uma agradável água para toalete. As sementes e a casca não devem ser ingeridas. A raiz é tóxica, não obstante ter um sabor doce, pelo que deve ser proibido às crianças.
Açafrão
açafrão
  • Partes usadas: As estigmas, folhas e flores.
  • Indicação: Falta de apetite, bronquite, Má digestão, frigidez, problemas na gengiva, impotência, problemas de menstruação e tosse.
  • Posologia:
  1. Infusão: 20 g. para 1 L. de água, tomam-se três xícaras diárias;
  2. Banhos: 30 g. para 1 L. de água.
Alcachofra
alcachofra
  • Parte usada: Flor e folha.
  • Indicações: Arteriosclerose, celulite, colesterol alto, diabetes, esterilidade, males do fígado, gota, obesidade, ureia, vesícula biliar, Insuficiência hepatobiliar, constipação e uricemia.
  • Posologia: Concentração do extrato seco – equivalente ao extrato fluido.
Acelga
acelga
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Abscessos, anemia, cistite, auxilia no crescimento, obstipação, pele, rins.
  • Posologia:
  1. Cataplasmas: Feito com folhas cozidas e trituradas, tem efeito emoliente.
  2. Infusão: 20 g. em 1 L. de água, tomar de três a quatro xícaras diariamente.
Agrião
agrião
  • Parte usada: Caule e folhas.
  • Indicações: Acne, hepatite, boca, bronquite, cabelo, convalescência, dermatose, escorbuto, fígado, pele, sardas, tireoide, revitalizador do sangue.
  • Posologia:
  1. Suco: ½ xícara de seu suco fresco três vezes ao dia, para catarros pulmonares, afecções gastrointestinais, cálculos biliares e renais, icterícia, hidropisia e fígado.
  2. Infusão: 20 grs. Para 1 L. de água. Tomar três xícaras por dia.
Aipo
aipo
  • Parte Usada: Raiz, folhas e frutos.
  • Indicações: Albuminúria, artrite, contusão, lactação, litíase, meteorismo, tez, tosse, rins, dores de dentes e para o aparelho urinário.
Alcaçuz
alcaçuz
  • Parte Usada: Raiz, Rizoma (outono, 3º ano, secagem ao sol).
  • Indicações: Asma, oca, bronquite, cistite, conjuntivite, espasmos, estômago, úlceras, obstipação, tosse.
  • Obs.: Não abusar do consumo. Se ingerido em dose elevada pode causar hipertensão arterial devido a ação do ácido glicirrítico. Se ingerido em doses moderadas, o alcaçuz não oferece qualquer perigo. Para os grandes consumidores, geralmente os doentes de úlceras ou fumantes e alcoólicos que desejam mitigar as suas carecias, existem comprimidos preparados em laboratório isentos da substância que provoca a hipertensão.
Alecrim
alecrim
  • Parte usada: Folha e sumidade florida – Colher os ramos jovens na primavera e refutar os ramos mais velhos.
  • Indicação: Astenia, debilidade de qualquer tipo, hepatismo, colecistite, icterícia, congestão hepática, hepatomegalia, hepatite crônica, litíase biliar, menstruação insuficiente, dispepsia atônica, hemicrania digestiva, gota e reumatismo.
  • Posologia:
  1. Infuso ou decocto: Coloque três grs. Em uma xícara de chá de água fervente (100 ml). Abafar por 10 minutos. Coe e tome uma xícara por dose, duas a três vezes ao dia antes ou após as refeições.
  2. Tintura: 20% – Coloque 20 grs. Em 100 ml de álcool de cereal a 70 °C. Macerar por uma semana. Coe e tome uma colher de café em um pouco de água, duas a três vezes ao dia, antes ou após as principais refeições.
  3. Vinho: Coloque 30 grs. Em 1 L. de vinho branco. Deixar em maceração por 15 dias. Coe e beba em copos de licor (cálice) entes ou após as refeições.
  4. Geleia de flores: Derreter 750 grs. De açúcar em panela e cozinhar por 10 minutos. Deixar esfriar e juntar 75 grs. De flores de alecrim. Cozinhar por mais 10 minutos. Depois colocar nos potes, e quando ficar frio, tampar.
Alface
  • Indicações: Transtornos nervosos, afecções renais, dispepsia, constipação, insônia, palpitações, hipocondria, neuralgia, reumatismo, inflamações dos olhos e conjuntivite, blenorragias e inflamações da bexiga.
  • Posologia:
  1. Chá: 20 grs. Das folhas para 1 L. de água, cozinhar por 11 minutos. Tomar três xícaras diárias.
  2. Suco: Obtém-se liquidificando as folhas frescas com uma pequena quantidade de água, misturando com um pouco de suco de limão.
Alfafa
alfafa
  • Parte usada: Brotos, folhas.
  • Indicações: Anemia, atonia muscular, cansaço cerebral, debilidade geral, escorbuto, hemofilia e raquitismo, purifica o sangue, cura os rins e as enfermidades da bexiga e intestinos.
  • Posologia: Os brotos ternos da alfafa são considerados um alimento de grande valor nutritivo. Rico em vitamina K.
  1. Suco: Só ou com outros vegetais, é indicado como poderoso reconstituinte, pode ser acrescentado mel de abelhas e algumas gotas de limão.
  2. Infusão: 30 grs. De folhas frescas ou secas para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
Alfavaca
alfavaca
  • Parte usada: folhas ou flores.
  • Indicações: Aerofagia, afta, astenia, cefaleia, constipação, espasmo, estômago, picada de insetos, lactação, meteorismo, nervosismo, sonolência, treçolho, tosse, tosse convulsa, vômito, melancolia.
  • Posologia:
  1. Cataplasmas das folhas frescas em caso de tumores e furúnculos.
  2. Infusão: Empregam-se 10 a 15 grs. Das folhas ou flores para 1 L. de água. Deixa-se repousar e tomam-se duas xícaras diárias. Para uso externo emprega-se 30grs. Para 1 L. de água.
Algas Marinhas
  • Parte usada: Planta inteira.
  • Indicações: Hipertireoidismo, disfunções renais, raquitismo, anemia, dispepsias, obesidade, celulite, flacidez, tireoide, disfunções glandulares, revitalizante, hidratante, tônico, depurativo, nutritivo.
  • Posologia: Concentração do Extrato seco: Equivalente ao extrato fluido ou 10% sólidos extraídos.
Aloé Vera
aloe vera
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Constipações crônicas, inflamações, queimaduras, eczemas, erisipelas.
  • Posologia:
  1. Chá: 10 grs. Das folhas para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
  2. Cataplasmas das folhas para feridas, tumores, inclusive câncer.
  3. Suco da planta: Para afecções da pele, eczemas, erisipela, queimaduras e inflamações dos olhos.
  4. Xarope: ½ kg de mel, duas folhas de aloé (aprox. ½ metro) três colheres de sopa de conhaque de alcatrão. Tirar os espinhos do aloé e cortar em pedacinhos, colocar o liquidificador com os demais ingredientes, bater, bater, guardar na geladeira e tomar três colheres de sopa por dia longe das refeições.
Alteia
alteia
  • Parte usada: Raízes, flores, folhas frescas ou secas, secagem à sombra ou em estufa.
  • Indicações: Bronquites, tosse, garganta irritada, inflamação bucal, afta, acne rosácea, angina, cistite, dentes, gengivas, obstipação, olhos, pele, insônia, indigestão, diarreia.
  • Posologia: Concentração do Extrato seco: Equivalente ao extrato fluido ou 10% sólidos extraídos.
Anis
anis
  • Parte usada: Folhas e sementes.
  • Indicações: Alterações do metabolismo, astenia psíquica, cólicas menstruais, gastrite, intoxicação intestinal, neuralgias e facilita o parto, inflamações dos olhos e abscessos.
  • Posologia: 20grs. Das folhas frescas ou secas ou sementes para 1 L. de água. Toma-se três xícaras diárias do chá.
Arnica
arnica
  • Parte usada: Folhas e flores.
  • Indicações: Contusões, torceduras, reumatismo, neuralgias, flebite.
  • Posologia:
  1. Infusão: Para uso interno se emprega 10 grs. De folhas para 1 L. de água. Toma-se três xícaras diárias.
  2. Para uso externo: Prepara-se um chá empregando 25 grs. De folhas ou flores em 1 L. de água, banhar o local da dor.
Aveia
  • Parte usada: Grãos.
  • Indicações: Indigestão, diarreia, desordens hepáticas e vesiculares, eczemas, astenia, banho, convalescência, auxiliar do crescimento, diabetes, envelhecimento precoce, esterilidade, impotência, pele, insônia, surmenage.
  • Posologia: Concentração do extrato seco: Equivalente ao extrato fluido ou 10% sólido extraído.
Azedinha
azedinha
  • Parte usada: Folhas, flores e raízes frescas (perde suas propriedades na secagem).
  • Indicações: Afecções catarrais e das vias urinárias, febres, enfermidades da boca e aftas (mastigando as folhas), inflamação dos olhos (pingando duas a três gotas), Cataplasmas aliviam tumores, combatem feridas, problemas de pele, sarna e para sede.
  • Posologia: 20grs. Para 1 L. de água. Toma-se três xícaras diárias.
Bananeira
  • Parte usada: Frutas, tronco e coração.
  • Indicações: estado de convalescência, astenia, fatiga muscular e nervosa, pulmões e bronquite.
  • Posologia:
  1. Fruto: Comer por 15 dias nas três refeições, bananas bem amassadinhas, a quantidade de um copo (200 ml), e nos intervalos das refeições tomar muita água.
  2. Tronco: O líquido extraído do tronco alivia hemorroidas, aplicando-se compressas. E tomando ½ copo do suco pela manhã em jejum limpa o pulmão.
  3. Xarope: Para bronquite: Cortar bem fininho dois corações do cacho da bananeira, colocar num pote de barro, despejar por cima ½ kg de mel e deixar repousar por 48 horas. Tomar três colheres por dia, longe das refeições. Tomar por 15 dias, descansar 15 e tomar novamente. Repetir o tratamento quatro vezes.
Bardana
bardana
  • Parte usada: A raiz, coletar no primeiro ano de cultivo, no outono. Consumir fresca ou seca. As folhas colhe-se antes da floração.
  • Indicação: Diabetes, furunculose, dermatose úmida e purulenta, acne, eczema, chagas, reumatismo, gota, litíase urinária.
  • Posologia:
  1. Decocto: Coloque cinco grs. Da raiz, cortada em pedaços bem pequenos, em 100 ml de água (uma xícara de chá). Ferver por 10 minutos. Manter em repouso por 15 minutos. Coe e tome uma xícara, três vezes ao dia, fora das refeições. Acrescentando um pouco de mel, pode também ser usada em compressas.
  2. Tintura: Coloque 20 grs. De raiz em 100 ml de álcool de cereal a 70°. Macere por 10 dias. Coe e esprema o resíduo num pano. Tome uma colher (café) duas a três vezes ao dia com um pouco de água.
  3. Vinho: Coloque 20 grs. De raiz, cortada em pedaços bem, pequenos em ½ litro de vinho licoroso. Macerar por uma semana. Filtre e tome em cálice duas vezes ao dia.
Boldo
boldo
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Dispepsias, insuficiência hepato-biliar, estimula a secreção da bílis pela célula hepática e facilita o funcionamento da vesícula biliar, fígado e estômago.
  • Posologia:
  1. Infusão: 20grs. Para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
  2. Suco: aplica-se em manchas da pele provenientes de afecções hepáticas.
  3. Banhos: 40 grs. De folhas para 1 L. de água em casos de afecções da pele, sífilis e blenorragia.
  4. Vapores: em casos de infecções e dores de ouvido.
Calêndula
calendula
  • Parte usada: Flores.
  • Indicações: Dores de cálculos biliares, indigestão, dismenorreias, queimaduras, feridas, úlceras, contusões, frieira, furúnculo, menopausa, menstruação problemática, pele, queimaduras, úlcera cutânea, verrugas.
  • Posologia:
  1. Infusão: 10 grs. De suas flores ou folhas para 1 L. de água. Toma duas xícaras diárias.
  2. Suco: Em casos de queimaduras, chagas, sifilíticas e cancerosas, herpes e picaduras.
  3. Cataplasmas: Trituram-se as folhas frescas e aplicam-se em casos de calos, verrugas, tumores e abscessos.
  4. Fomentações: Em casos de golpes, quedas e torceduras.
Camomila
camomila
  • Parte usada: Flores: Os capítulos florais são colhidos antes de sua abertura completa. Secar à sombra em ambiente arejado, calor de 40 °C. As melhores são aquelas que não vêm acompanhadas de folhas ou pedúnculo floral.
  • Indicações: Nevralgias, indigestão, dismenorreia, feridas, afecções cutâneas, insônias, distúrbios da menopausa, espasmo doloroso do tubo gastrointestinal, gastrite, úlcera gástrica duodenal e enxaquecas.
  • Posologia:
  1. Infuso: 30ª cinco grs. De flores em uma caneca de louça. Ferva uma xícara de chá de água e coloque nas flores.  Abafe por 10 minutos. Coe e tome uma xícara três vezes ao dia, podendo adicionar o suco de 1/2limão por dose.
  2. Tintura: 20%: Coloque 20 grs. De flores em 100 ml de álcool de cereais a 70°. Deixe em repouso por uma semana, em lugar escuro. Coe num pano e esprema o resíduo. Tome uma colher (café) três a quatro vezes ao dia com um pouco de água.
  3. Óleo medicamentoso: Coloque 30 grs. De flores em 100 ml de óleo de cozinha. Deixe em banho-maria durante 3 horas. Coe e esprema o resíduo. Use ainda morno para fazer massagens delicadas, para dores de ouvido, nevralgias, limpeza de crosta dos recém-nascidos.
  4. No caso de reumatismo, podem ser adicionadas 10 grs. De cânfora e fazer massagens suaves nas juntas doloridas e cobrir com uma flanela.
Capsicum – Pimentão-cornicabra, pimento comum
capsicum
  • Partes usadas: Frutos.
  • Indicações: Indigestão, dores reumáticas, artrite, hemorroidas, enjoos, alcoolismo, arteriosclerose, astenia, bronquite, cabelo, congestão, diarreia, pulmão, reumatismo, combate a alopecia.
  • Posologia:
  1. Decocto: 10 grs. em 1 L. de água. Ferve-se por 2 minutos, deixa repousar durante a noite e toma três xícaras diárias longe das refeições, para alcoolismo.
  2. Cataplasma quente do pó ou do fruto se aplicam sobre nevralgias, congestões, bronquite e dores pulmonares.
  3. Suco fresco: Para falta de apetite, astenias, vômitos e diarreias.
Carqueja
carqueja
  • Parte usada: Folhas e raízes.
  • Indicações: Fígado, bílis, cólicas hepáticas, cálculos renais, estômago, bexiga, diabete, impotência sexual, frigidez e infecundidade.
  • Posologia: Infusão de 20 grs. Da folha seca ou fresca para 1 L. de água. Tomar três xícaras diárias.
  • O pó da raiz em infusão. Uma colher para uma xícara de água fervendo.
Cascara Sagrada
cáscara
  • Parte usada: Cascas.
  • Indicações: Constipações crônicas, intestinos, enfermidades do fígado.
  • Posologia:
  1. Cozimento: 20 grs. Para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
  2. Pó – Em Infusão: uma colherzinha de café para uma xícara de água fervendo.
Castanha Da Índia
castanha india
  • Parte usada: Cascas e sementes.
  • Indicações: afecções do sistema venoso (varizes, hemorroidas, flebites varicosas), acne rosácea, banho, circulação, febre, frieira, menopausa, obesidade, combate a couperose.
Cavalinha – Rabo de cavalo
cavalhinha
  • Parte usada: Toda a planta.
  • Indicações: albuminaria, cistite, enfermidades dos rins, cálculos biliares e renais, reumatismo, gota, ciática, hemofilia, hemorragias e pólipos nasais, vômitos de sangue, apoplexia, arteriosclerose, combate obesidade, sudação, panarício, unha.
Cenoura
  • Parte usada: Tubérculo- raiz.
  • Indicação: Carênci9a de vitamina A, anemia, constipação, desordens hepáticas, abscessos, astenia, bronquite, bronzeamento, convalescença, crescimento, diarréia, envelhecimento precoce, epidemias, estômago, ferida, fígado, frieira, intestino, lactação, obstipação, olhos, parasitose, pele, prurido, queimadura, seios, tosse, úlcera cutânea.
  • Posologia:
  1. Usada crua, ralada ou ingerida em forma de saladas.
  2. Suco: Ralando-a o centrifugando-a, tomar o suco em seguida.
Cipreste
cipreste
  • Parte usada: Folhas e frutos.
  • Indicações: Varizes, hemorragias, menopausa, tuberculose, tosse comprida, próstata, circulação, diarréia, enurese, hemorróidas e bexiga.
  • Posologia: Para preparar o chá usam-se as folhas e os frutos da planta, 20 grs. Para 1 L. de água. Tomar três xícaras por dia. Para banhos usam-se 50 grs. Para 1 L. de água.
Cissus Cissioydes – insulina vegetal
cissus
Obs. Há na América do Sul 53 espécies diferentes conhecidas.
  • Parte da planta: Folhas.
  • Indicação: Diabetes, cálculo biliar e problemas hepáticos.
  • Posologia:
  1. Chá;
  2. Tintura álcool de 70°. Adultos: 10 gotas três vezes ao dia em um pouco de água antes das refeições. Crianças: cinco gotas três vezes ao dia em meio copo de água antes das refeições.
Confrei
confrei
  • Parte usada: O rizoma de cor escura. Escolher as plantas que apresentam um ano e meio de vida e colhê-las no outono ou no início da primavera. Descartar as partes aéreas e os rizomas de cor branca.
  • Indicações: Úlcera gástrica e duodenal, gastrite, feridas, chagas, úlcera varicosa, eczemas, prurido vaginal, fissuras da mama e anal, bronquites, tosse de qualquer etiologia.
  • Posologia:
  1. Decocto: 5%: Coloque cinco grs. De rizoma em 100 ml de água. Ferver por 5 minutos. Deixe descansar por 15 minutos. Coe e tome uma xícara três vezes ao dia.
  2. Decocto 10%: Coloque 10 grs. De rizoma em 100 ml de água. Ferver por 5 minutos. Deixe descansar por 15 minutos. Coe e aplique em compressas nas partes afetadas. Pode também passar no couro cabeludo após o banho.
  3. Infuso: Coloque 50 grs. De rizoma de confrei, 50 grs. de fruto de quiabo verde, tudo cortado em pedaços bem pequenos, em 300 ml de água fervente. Deixe em maceração por uma noite. Filtre e use para higiene íntima e para banhar as partes afetadas.
  4. Tintura 20%: Coloque 20 grs. De rizoma em 200 ml de álcool de cereal a 50°. Deixe macerar por 10 dias em lugar escuro. Coe num pano limpo espremendo o resíduo. Tome uma colher de café duas vezes ao dia, com um pouco de água.
  5. Vinho: Coloque 50 grs. De rizoma, cortados em pedaços bem pequenos, em 1 L. de vinho branco. Deixe em maceração por uma semana.  Coe num pano e esprema o resíduo. Tome um cálice duas a três vezes ao dia.
Dente de Leão
dente leão
  • Parte usada: Raiz, folha e capítulo floral. A raiz se colhe no outono. Lavar muito bem e secar no calor moderado. A folha pode ser colhida em qualquer época e o capítulo floral antes de abrir.
  • Indicações: Dispepsia da atonia gástrica e intestinal, anorexia, insuficiência hepática, icterícia, cálculo biliar, prisão de ventre, cistite, eczema, escorbuto (suco), hemorróidas, obesidade, reumatismo (chá), miocardite (raiz), depurativo do sangue, anemia, baço, deficiência circulatória.
  • Posologia:
  1. Decocto: Coloque 5 a 10 grs. De raiz, cortada em pedaços bem pequenos em uma xícara de chá de água. Deixe macerar durante a noite. No dia seguinte, ferver rapidamente. Coe e tome a metade ½ hora antes do0 desjejum e o restante ½ hora após.
  2. Decocto: Coloque 10 grs. Da raiz, cortada em pedaços bem pequenos, em uma xícara de chá de água, deixe ferver por 5 minutos. Coe e coloque um pouco de mel ou glicerina. Passar no rosto e nos olhos, com um chumaço de algodão em bebido no líquido.
  3. Tintura 20%: Coloque 20 grs. De raiz em 100 ml de álcool de cereal a 75° Bata no liquidificador e deixe em repouso por três dias. Coe num pano e esprema o resíduo. Tome uma colher de café num copo de água, duas a três vezes ao dia, antes das refeições.
  4. Vinho: 10%: Coloque 10 grs. De raiz cortada em pedaços bem pequenos em 100 ml de vinho licoroso. Deixe em repouso por 10 dias. Co e tome por copos de licor antes das principais refeições.
  5. Melito de flores: coloque 10 capítulos florais em uma xícara e ½ de chá de água e deixe ferver por 15 minutos. Coe num pano e esprema. Leve outra vez ao fogo para reduzir à metade. Acrescente igual porção de mel e use para passar no pão, às refeições.
  6. Salada: As raízes e as folhas novas podem ser comidas cruas em forma de salada.
Erva Doce – anis verde
erva doce
  • Parte usada: Sementes.
  • Indicações: Flatulência, vômitos, gastralgias, afecções brônquicas, nervosismo, aerofagia, contusão, dentes, espasmos, estômago, flebite, indigestão, lactação, meteorismo, soluço, tosse, vômito.
Erva-De-Santa-Maria
erva s maria
  • Partes usadas:sumidades floridas, folhas secas.
  • Indicação: Expectorante, cálculo das vias urinárias, febres, menstruação irregular, asma, parasitose, pulmão, facilita o parto.
Espinheira Santa
espinheira santa
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Dispepsias, gastrites, úlceras gástricas e duodenais, flatulências. Excelente preventivo de câncer se usado com moderação, isto é, longe das refeições, três vezes ao dia um pouco mais de ½ xícara por vez, lembrando a contra-indicação abaixo.
  • Posologia: Infusão a 2%: 10 grs. De folhas secas em ½ litro de água fervendo. Tomar 150 ml três vezes ao dia. OBS. Reduz a secreção láctea sendo contra-indicado então à mulheres que amamentam.
Eucalipto
  • Parte usada: Folhas adultas – junho a setembro.
  • Indicações: Asma, bronquite, rinite, sinusite, reumatismo, artrite, neuralgias, ciática, mosquitos, purifica o ambiente.
  • Posologia:
  1. Infusão: 20grs. De folhas para 1 L. de água, adoçar com mel e tomar três xícaras por dia.
  2. Banhos e compressas: 100 grs. Para 1 L. de água.
Fucus
fucus
  • Partes usadas: Talo inteiro (todo o ano) secagem ao sol.
  • Indicações: Disfunções da Tireóide, obesidade, celulite, arteriosclerose, banho, bócio, obstipação, psoríase.
  • Posologia: 15 grs. Para 1 L. de água. Tomar três xícaras de chá ao dia.
Ginseng
ginseng
  • Parte usada: Toda a planta.
  • Indicações: Estômago, fígado, sistema nervoso, stress, impotência sexual.
  • Posologia: 20 grs. De raízes cortadas em pedacinhos, para 1 L. de água. Ferver por 3 minutos deixar repousar por 15 minutos e tomar duas xícaras diárias.
Goiabeira
  • Partes usadas: Casca do caule, folhas novas, fruto verde, fruto maduro, botão floral.
  • Indicações: Diarréia, indisposições gástricas, afecções da boca e garganta, lavagens vaginais, tratamentos de úlceras varicosas.
  • Posologia:
  1. Decocto: cinco grs. de casca de caule em 100 ml de água. Ferva por 5 minutos. Coe e tome uma xícara após cada evacuação.
  2. Decocto: Coloque uma folha de goiabeira, 12 folha de abacateiro, uma folha de pitangueiro em 100 ml de água. Ferva por 5 minutos. Coe e tome uma xícara após cada evacuação.
  3. Decocto: 30 grs. De casca de caule de goiabeira, 30grs. De rizoma de confrei em ½ litro de água. Ferva por 10 minutos. Coe e use para lavar feridas.
  4. Tintura: 20 grs. de casca de caule em 100 ml de álcool de cereal a 60°. Deixe em maceração por cinco dias. Coe e tome uma colher de café em um, pouco de água, três vezes ao dia.
  5. Vinho de flores: 50 grs. De flores em ½ litro de vinho branco. Deixe em maceração por uma semana. Coe e tome dois cálices ao dia.
Guaçatonga – Chá de bugre
guaçatonga
  • Parte usada: Folha.
  • Indicações: Elevar a imunidade, infecções generalizadas herpes, enfermidades venéreas e viróticas, gastrite, úlcera gástrica, cicatrizante de ferimentos e ulcerações, furúnculos plantares em diabéticos.
  • Posologia: Pode ser usado em forma de chá ou tinturas.
Guaco
guaco
  • Parte usada: Folha – pode ser coletada em qualquer época do ano, principalmente no início da floração. Secar ao sol e manter longe da umidade, fungos e insetos. Quando seca ela é fracamente aromática e possui sabor aromático amargo.
  • Indicação: Tosse de qualquer natureza, catarro bronquial, asma brônquica, estados gripais, reumatismo em geral.
  • Posologia:
  1. Infuso: Coloque uma folha cortada em pedaços pequenos em uma caneca de louça ou barro. Ferva uma xícara de chá de água e coloque por cima e abafe. Coe e tome uma xícara duas vezes ao dia.
  2. Decocto: uma folha de guaco, dois cm de raiz de confrei, cortada em pedaços bem pequenos em uma xícara de chá de água. Ferva por alguns minutos. Abafe, coe e tome uma xícara de chá duas vezes ao dia.
  3. Tintura: 10 folhas, cortadas em pedaços bem pequenos em 100 ml de álcool de cereais de 70°. Macere durante uma semana em lugar escuro. Coe e use uma colher de café duas a três vezes ao dia, com um pouco de água. Passe localmente nas juntas doloridas.
  4. Xarope: duas folhas de guaco, em pedaços pequenos, para ferver em uma xícara de chá de água durante 5 minutos. Coe e acrescente 65 grs. De açúcar cristal e novamente leve ao fogo. Filtre a quente e use uma colher de sopa três vezes ao dia.
  5. Elixir: 20 folhas frescas, em pedaços pequenos, em 600 ml de álcool de cereais a 50°. Deixe em maceração por oito dias. Coe num pano e acrescente 200 ml de água e 170 grs. De açúcar cristal . Deixe descansar pó um mês. Filtre e tome um cálice duas a três vezes ao dia.
  6. Vinho: 20 folhas frescas, em pedaços pequenos, em 500 ml de um vinho licoroso. Macere por 10 dias. Agitando de vez em quando. Filtre e tome um cálice duas a três vezes por dia.
Guaraná
guarana
  • Parte usada: Semente desprovida dos tegumentos. Coletar nos meses de janeiro e fevereiro. Reduzida a pó ou em pasta moldada na forma de bastões.
  • Indicações: Fadigas em geral, convalescença, diarréias, enxaquecas, astenia sexual.
  • Posologia:
  1. Pó: Raspe o bastão de guaraná com uma lima grossa e passe por uma peneira fina. Use uma colher de café em um pouco de leite duas a três vezes ao dia.
  2. Infuso 5%: cinco grs., duas colheres de café de pó, em uma caneca de louça. Ferva uma xícara de chá de água e acrescente ao pó. Coe e tome duas xícaras ao dia, adoçadas com mel.
  3. Tintura 20%: 20 grs., duas colheres de sopa de pó em 100 ml de álcool de cereal a 70°. Deixe macerar por uma semana, em lugar escuro. Coe num pano limpo e esprema o resíduo. Tome uma colher de café duas a três vezes ao dia com um pouco de água.
  4. Elixir: Coloque dois fragmentos de baunilha ou canela em 200 ml de álcool de cereal. Ferva 500 ml de água e acrescente 50 grs. De guaraná em pó. Esfriar e acrescentar 500 grs. de açúcar e o álcool de baunilha ou canela. Deixe em repouso durante um mês. Coe e tome por copos duas vezes ao dia.
Hamamelis
amamelis
  • Partes usadas: Folhas e casca.
  • Indicações: Afecções do sistema venoso (varizes, flebites, hemorróidas, úlceras varicosas), hemorragias, veias.
Hortelã
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Má digestão, gazes, acidez, flatulências, cólicas estomacais, vertígios nervosos, coração, espasmos, para aumentar o leite, mau hálito.
  • Posologia:
  1. Infuso: 20 grs. Para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
  2. Fomento: Para dores reumáticas, contusões e inchaços.
  3. Cataplasma misturado com azeite de oliva, para queimaduras e evita infartos.
Jaborandi
jaborandi
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Glaucoma, hidropisias renais, afecções catarrais das vias respiratórias, hiper-hidroses, tônico capilar, combate a alopecia e caspa.
Malva
malva
  • Partes usadas: Raiz, folhas, flores (antes da abertura), secagem ao ar e à sombra, conservação difícil, tornando-se azuis com a secagem e descorando por ação da luz.
  • Indicações: Afecções catarrais das vias respiratórias, bronquites, tosses, estados inflamatórios das vias digestivas, boca, gengiva, garganta, combate as afecções cutâneas.
  • Posologia:
  1. Cozimento: 20 grs. De folhas ou flores para 1 L. de água. Tomam-se três xícaras diárias.
  2. Raízes: 15 grs. Para 1 L. de água, ferver durante 10 minutos e deixar repousar. Tomar três xícaras diárias.
Mamão
  • Partes usadas: Fruta, flores e sementes.
  • Indicações: Debilidades do estômago, digestão lenta e difícil, diabetes, icterícia e asma. As sementes combatem vermes, tuberculose e câncer. As flores são expectorantes para tosse e catarro bronquial.
Manjerona – Orégano
manjerona
  • Partes usadas: Folhas e sumidades floridas.
  • Indicações: Mau hálito, cólicas flatulentas, indigestão, dispepsia, enfermidades do estômago, cefaléias, hemiplexia, neurose gástrica e vertigens, insônia, nervos e angústia depressiva.
  • Posologia:
  1. Infuso: 20 grs. Para 1 L. de água. Tomar três xícaras por dia.
  2. Cataplasmas das folhas frescas para feridas, tumores, golpes, inchaços e dores reumáticas, e podem também ser feitos banhos.
Maracujá
  • Partes usadas: Folhas, frutos e flores.
  • Indicações: Esgotamento nervoso, cansaço cerebral, enfermidades do coração, melancolia, neuralgia, palpitações, stress, medo, perturbação, alcoolismo, angústia, enxaqueca, males do coração, cólica, espasmos, insônia.
  • Posologia: Suco, chá das folhas e flores.
Melissa – Erva cidreira
melissa
  • Parte usada: Folhas – secagem rápida, caule florido (junho).
  • Indicações: Acufenos, anemia, falta de apetite, asma, banho, estômago, fígado, auxilia na gravidez, mau hálito, indigestão, lipotimia, bom prá memória, picadas de insetos, pulmão, melhora o sono, vertigens.
  • Posologia:
  1. Infuso: 20 grs. Para 1 L. de água. Tomar três xícaras diárias.
  2. Cataplasmas para contusões, feridas, golpes.
  3. O uso em excesso se torna tóxico – cuidar com o excesso.
Milho
  • Parte usada: Cabelo de milho. Colher a droga assim que ela aparece na espiga, antes da fecundação. Secar em ambiente arejado e conservar em vaso de porcelana. É importante conservar a droga longe da umidade pois ela se degrada rapidamente.
  • Indicações: Litíase urinária, afecções das vias urinárias (cistite, nefrite, cistopielite), oligúria (diminuição do volume de urina, por insuficiência cardíaca), hidropisia, albuminúria, gota e reumatismo, obesidade, cicatrização de feridas, chagas.
  • Posologia:
  1. Infuso 10%: 10 grs. em uma xícara (100 ml) de água fervente. Deixe em repouso por 10 minutos. Coe e tome uma xícara por dose, três vezes ao dia.
  2. Decocto 5%: cinco grs. Em uma xícara de água. Ferva por 10 minutos. Deixe em repouso por 5 minutos. Coe e tome uma xícara por dose antes das principais refeições ou use para aplicar nas lesões.
  3. Tintura 20%: 20 grs. Em 100 ml de álcool de cereal 65°. Macerar por uma semana. Coe e esprema o resíduo. Tome uma colher de café em um pouco de água três vezes ao dia.
  4. Extrato mole: 100 grs. Em vasilha de aço inoxidável. Deite água fervente em quantidade suficiente para cobri-la. Deixe em infusão durante 2 horas. Coe e esprema o resíduo. Trate o resíduo do mesmo modo.  Reúna os dois infusos e evapore-os em banho-maria até reduzi-los a 40 grs. Após o resfriamento junte 30 ml de água destilada fria, deixe depositar, filtre e evapore até consistência de extrato mole. Dose: 10 a quatro grs. Por dia.
Pata De Vaca
pata de vaca
  • Parte usada: Folhas.
  • Indicações: Coadjuvante no tratamento da diabete Melitus tipo II, enfermidades renais, hipertensão arterial, obesidade.
  • Posologia:
  1. Infusão: uma gr. Da folha seca para 150 ml de água fervendo. Tomar três a quatro xícaras ao dia.
  2. Chá da raiz para prisão de ventre. 10 grs. Para 1 L de água.
Pepino
  • Parte usada: Fruto.
  • Indicações: Atenua pruridos, cicatrizante de feridas (usando a casca), ácido úrico, cálculos renais e vesiculares, hematismo, gota, inflamações do tubo digestivo e prisão de ventre.
  • Posologia:
  1. Cataplasmas: Para impurezas da pele, espinhas, grãos e se recupera a beleza.
  2. Pepinos em conserva para os rins, coração e próstata.
Pfaffia
pfaffia
  • Parte usada: Raízes.
  • Indicações: Esgotamento, debilidade, irregularidades circulatórias, tônica, hidratante, nutritiva.
  • Posologia: Concentração do extrato seco – Equivalente extrato fluido ou 10% extraídos.
Quilaia – Molina
quilaia
  • Parte usada: Cascas.
  • Indicações: Desengordurante do couro cabeludo nas seborréias, estimula o bulbo pilífero.
  • Posologia: Concentração extrato seco – Equivalente extrato fluido ou 10% sólidos extraídos.
Quina
quina
  • Parte usada: Cascas.
  • Indicações: Malária, febres, dispepsias, debilidade orgânica, paludismo.
  • Posologia: Concentração extrato seco – Equivalente extrato fluido ou 10% sólidos extraídos.
Sabugueiro
sabugueiro
  • Partes usadas: Flores, casca mediana do caule, folhas e frutos.
  • Indicações: Em todos os casos em que se queira fazer brotar o sarampo, provocar a transpiração, abaixar a febre e acalmar a tosse. Em todos os casos de retenção de líquidos no organismo, hidropisia, reumatismo e gota, tratamento de erupções cutâneas e erisipelas.
  • Posologia:
  1. Infuso 2%: duas grs. De flores secas em uma caneca de louça. Acrescente uma xícara de água fervente. Abafe por 5 minutos. Coe e tome ainda morno, uma xícara por dose, duas a três vezes ao dia.
  2. Decocto 5%: Coloque cinco grs. De flores secas em uma xícara de água. Deixe ferver por 5 minutos. Retire do fogo, abafe bem. Coe e adicione um pouco de mel. Use para fazer compressas ou cataplasmas.
  3. Tintura 20%: Coloque 20 grs. De casca mediana do caule em 100 ml de álcool de cereal a 70°. Macere durante 10 dias.  Filtre e tome uma colher de café com um pouco de água, três vezes ao dia.
  4. Vinho 10%: 10 grs. De casca mediana de caule em 100 ml de vinho branco. Deixe macerar por cinco dias. Filtre e tome por cálice duas a três vezes ao dia.
Sálvia
salvia
  • Partes usadas: Folhas e partes floridas. Coletar as folhas antes do aparecimento das flores. As flores devem ser colhidas quando estiverem bem abertas. Para fins culinários as folhas podem ser colhidas em qualquer época.
  • Indicações: Amenorréia e dismenorréia, sudorese noturna dos convalescentes e tuberculosos, diabetes, sudorese excessiva das mãos e axilas, esterilidade e menopausa, astenia, dispepsia por atonia gastrintestinal.
  • Posologia:
  1. Infuso 2,5%: 2,5 ou cinco grs. Em uma xícara de água fervente. Abafe e deixe em repouso por 10 minutos. Coe e tome uma xícara por dose, após as refeições.
  2. Decocto 10%: Ferva, por 10 minutos 100 grs. De folhas em 1 L. de água. Coe e use para banhar os pés, enquanto estiver morno.
  3. Decocto 10%: Coloque 10 grs. De folhas em um copo de água para ferver durante 10 minutos. Coe e faça bochecho durante o dia.
  4. Tintura 20%: 20 grs. De folhas em 100 ml de álcool de cereal a 70°. Deixe em repouso por uma semana. Coe num pano e esprema o resíduo. Tome uma colher de café três vezes ao dia com um pouco de água.
  5. Vinho 20%: 20 grs. De folhas em ½ litro de vinho branco. Macere por uma semana. Coe e tome um cálice três vezes ao dia, de preferência uma semana antes da menstruação.
  6. Vinagre medicinal: Coloque folhas de sálvia em um vidro e cubra com vinagre branco. Macere durante 15 dias, em lugar quente ou ao sol. Coe e esprema o resíduo. Use para fazer massagens suaves.
Sene
sene
  • Parte usada: Folíolos. No fim do verão colhem-se os ramos, que se deixam secar ao sol. Separam-se das vagens.
  • Indicação: Constipação, prisão de ventre, intestino preguiçoso, indigestão, reduzir peso.
  • Posologia: Cozimento: 10 grs. Para 1 L de água. Tomar duas xícaras por dia.
  • Contra-indicação: Não é recomendado durante o período menstrual, gravidez nem a pessoas que sofrem de inflamação do tubo digestivo.
Tamarindo
tamarindo
  • Parte usada: Polpa do fruto maduro.
  • Indicações: Prisão de ventre, sobretudo infantil, refrescante intestinal, corretivo do sabor (edulcorante), cicatrizante externo (folha).
  • Posologia:
  1. Conserva: Coloque 50 grs. De polpa em 50 ml de água destilada. Amoleça em fogo brando. Coe e acrescente 125 grs. De açúcar. Evapore até consistência conveniente.
  2. Laxante suave: Coloque 40 a 60 grs. De polpa em um pouco de água fervente. Tome um copo à noite ao deitar, longe do deitar. Para crianças use duas grs. Por ano de idade.
  3. Decocção: Coloque uma colher de sopa de folhas em uma xícara de chá de água. Ferva por 5 minutos. Coe e use para lavar feridas.
Urtiga – urttigão, urtiga-maior, urtiga-mansa
  • Parte usada: Planta jovem, folhas (todo o ano), rizoma e raízes (outono), secagem à sombra, os pelos secos não são picantes.
  • Indicações: Hemorragias, metrorragias, hidropisia, anemia, reumatismo, lumbago, gota, urticária, afecções cutâneas, ciática, afta, cabelo, diabete, diarréia, edema, enurese, epistaxe, leucorréia, menopausa, pele, picadas e psoríase.
  • Posologia:
  1. Infusão: 20 grs. De folhas ou rizoma para 1 L de água. Ferver durante 5 minutos e deixar repousar. Tomar três xícaras diárias.
  2. Urtigadura

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs