emagrecer,dieta,abnoplastia,

reabilitação,quimica,engravida,criança,emagrecer,obsidade

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Vacina contra o Ebola será testada em janeiro de 2015


Vacina contra o Ebola será testada em janeiro de 2015

 

 

Uma vacina para combater o vírus Ebola será testada em janeiro de 2015, afirmou a vice-diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Marie-Paule Kieny, nesta terça-feira (21).
Os testes serão realizados nos três países mais afetados pela epidemia da doença (Guiné, Libéria e Serra Leoa). Dados da OMS apontam que a epidemia de ebola já infectou 9,2 mil pessoas e matou mais de 4,5 mil.
Kieny também destacou que pelo menos duas vacinas em desenvolvimento devem entrar na fase de testes clínicos nas próximas semanas em diversos países.
De acordo com a vice-diretora-geral, os resultados relacionados a segurança e capacidade de imunização das doses devem ser divulgados até o fim deste ano.
A médica lembrou que ainda não foram definidos grupos prioritários para receber a vacina, mas que a probabilidade é que eles incluam profissionais de saúde, além de parentes e contatos diretos de pessoas infectadas. “Todas essas possibilidades estão sendo discutidas neste momento, mas nenhuma decisão foi tomada ainda”, disse.

Canela em excesso: perigo!


Canela em excesso: perigo!

por Gislaine Rabelo
Canela em excesso: perigo! Este aviso é dedicado aos que são amantes desta especiaria, e chegam mesmo a abusar do uso, ou desconhecem a interação que pode ter com outras substâncias. Os benefícios são grandiosos, mas é necessário estar ciente dos efeitos secundários, quando da ingestão, ou em demasia, ou sob determinadas circunstâncias.

Conheça onde mora o perigo

Jamais aplique o óleo essencial de canela diretamente na pele. Somente diluído em água é que este óleo essencial pode combater infecções cutâneas. Sozinho pode chegar a causar queimaduras, ou no mínimo, irritações. E, ainda que raras, as alergias podem se manifestar no corpo.
Quando usada para tratar problemas digestivos, como a Síndrome do Intestino Irritável, ou uma úlcera, a ingestão também deve ser moderada. A canela é tão potente que pode provocar sérios danos as paredes do estômago. Nunca ultrapasse a ingestão de meia colher de chá por dia. Também pode provocar aumento na frequência cardíaca, e se estivermos a falar de crianças, pode haver intoxicação. E devido a presença da substância cumarina, o perigo de toxidade também se estende para aqueles com problemas renais graves.
Conhecida por suas propriedades anti coagulação do sangue, não poderá ser consumida ao mesmo tempo que medicamentos anticoagulantes, sob o risco de afinar o sangue a um nível preocupante. É por isso que sua ingestão deve ser evitada antes de uma cirurgia, no decorrer do período menstrual, ou em situações onde possa ocorrer sangramento.
Canela-em-excesso-perigo3.jpg
Aqueles que bebem medicamentos para regular o açúcar no sangue precisam ter cuidado especial. A canela possui um efeito poderoso sobre o açúcar no sangue. Logo, em combinação com remédios alopáticos destinados a este tratamento, pode diminuir o nível de açúcar de maneira drástica.
Estamos falando de um dos melhores antibióticos naturais. Todavia, é de fundamental importância consultar um médico, ou herbalista, antes de optar por seu consumo, pois pode interagir com um grande número de substâncias, e fazer mal, em vez de bem. Um chazinho inocente de canela pode se transformar num vilão para o organismo. Quando se trata de canela, moderação é a palavra de ordem.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Leptina esperança para os gordos (Quer Emagrecer? A Dica é a Leptina)


Pesquisa conjunta de cientistas das Universidades de Genebra e do Texas traz resultados surpreendentes no combate à obesidade.

Leptina, um hormônio implicado na regulação do peso do corpo, se mostra capaz de converter as células adiposas em células que queimam a sua própria gordura.
Quem se envergonha de subir sobre uma balança, tinha até hoje poucas formas de atacar a gordura.

A receita mais comum é dieta, esporte ou, em casos extremos, até lipoaspiração. Muitos gordos se tornam reincidentes. Para muitos, essa luta é quase sempre inglória.

Médicos suíços e americanos encontraram possivelmente um outro caminho, que pode ser mais efetivo e elegante: um hormônio que transforma células adiposas em tecido que queima sua própria gordura. Assim, elas se devoram praticamente a si mesmo.

A nova forma de tratamento já mostrou sua eficácia com ratos, como explicam Lélio Orci, da Universidade de Genebra, e seus colegas da Universidade de Dallas na revista especializada “Proceedings of the National Academy of Sciences” (publicação ocorre também na Internet).

Através de uma terapia de tratamento genético, os cientistas conseguiram aumentar nas cobaias a quantidade de proteína leptina e provocar, dessa forma, uma mudança dramática: as células adiposas se modificaram de tal maneira, que elas começaram por si só a queimar a gordura acumulada.

Esperança dos gordos

Leptina é conhecida há mais de dez anos e foi considerada durante muito tempo como a maior esperança para os gordos.

Ela é produzida diretamente pelas células adiposas e regula a queima de gordura e o sentimento da fome no cérebro. Se a leptina está faltando ou se sua transmissão foi interrompida, como foi detectada em muitas pessoas com excesso de peso, a conseqüência é a fome avassaladora e o aumento da produção de gordura.

Até hoje ainda não se conhecia a forma como a leptina reforça o processo de queima de gordura.

A utilização de leptina no tratamento de obesos foi, porém, decepcionante. Em muitos casos seu uso não levou a uma perda considerável no peso do paciente. Muitos deles eram resistentes ao hormônio, que já estava presente em concentração elevada no organismo.

O método revolucionário

Sem resolver ainda esses problemas, os pesquisadores suíços e texanos acabam de fazer uma descoberta que pode provocar uma revolução nos métodos de emagrecimento.

“Até hoje, o único meio de queimar calorias era reduzir a alimentação ou exercício físico”, explica o professor Jacques Philippe, chefe do serviço de endocrinologia, diabetologia e nutrição da Faculdade de Medicina de Genebra. “O tecido adiposo libera então gordura nos vasos sanguíneos para alimentar o corpo com energia”.

“O que os pesquisadores suíços e americanos descobriram é que, ao dar leptina aos animais, o tecido adiposo podia ele mesmo utilizar seu próprio estoque de energia e queimá-la”.

O professor Roger Unger da Universidade do Textas observou que os ratos tratados com leptina perdiam mais de 30% do peso em apenas 14 dias. Ao mesmo tempo, eles continuavam a comer normalmente.

Com base nessas observações, a equipe de Genebra descobriu que o tecido adiposo dos ratos tratados com o novo método passava por modificações profundas na sua estrutura. O volume das células adiposas havia diminuído drasticamente e as reservas de gordura haviam desaparecido em quase sua totalidade.

As células transformadas haviam sido literalmente repletas de mitocôndrias, ou seja, minúsculas usinas intracelulares responsáveis pela produção de energia e da combustão de lipídios.

Técnica ainda não é aplicável ao seres humanos

Apesar dos primeiros resultados positivos, a técnica ainda não pode ser aplicada em pessoas. “Nós ainda não conhecemos nada sobre esse mecanismo nos seres humanos”, ressalta Jacques Philippe.

“Também não sabemos se esse método pode ser aplicado normalmente nos animais, pois os que fizeram parte das experiências receberam uma quantidade muito grande de leptina”.

A resistência à leptina, que pode ocorrer tanto nos animais como nos seres humanos obesos, é atualmente um dos maiores desafios do uso da proteína na área médica. Em alguns casos a natureza provoca uma grande concentração de leptina nos tecidos, que podem ser tão elevadas como nas taxas em cobaias de laboratório, sem que haja uma grande mudança nas células adiposas.

“Podemos também imaginar que outras substâncias, naturais ou sintéticas, tenham a mesma capacidade”, complementa o professor. “É necessário descobri-las e continuar as experiências”.

Por isso o medicamento para curar a obesidade ainda vai levar uma dezena de anos para ser lançado no mercado.

A indústria farmacêutica é um dos setores mais interessados no tema: ela trabalha há anos na pesquisa de hormônios que, em conjunto, atuam sobre a alimentação e queima de energia no corpo.

“A obesidade se transformou numa epidemia no ocidente e até mesmo em países em desenvolvimento. É evidente que indústria farmacêutica irá priorizar as pesquisas nesse setor”.

Rimonabanto, a super pílula contra a gordura abdominal


Rimonabanto é o nome científico dos remédios Acomplia e Redufaste e começou a ser comercializado no Brasil em 2006 pelo laboratório Sanofi-Aventis. No entanto, com a sua proibição nos Estados Unidos, foi retirado também das prateleiras das farmácias brasileiras em 2008 por causa dos seus perigosos efeitos colaterais. Sendo assim, conheça um pouco melhor essa substância para verificar os seus resultados.

Rimonabanto Emagrece

O Rimonabanto age no sistema endocanabinóide, mais conhecido como receptor CB1, que funciona como defesa do organismo armazenando gordura para possíveis faltas futuras.
Por outro lado, um hormônio chamado apopectina, que é facilitador da ação da insulina, é produzido pelas células adiposas, inserindo glicose nas células. Então, quando encaramos situações estressantes, o endocanabinóide denominado anandamida faz com que o corpo estoque mais gordura e diminua os níveis de insulina.
Rimonabanto Emagrece?
Desse modo, a molécula do rimonabanto ocupa o lugar de tal endocanabinóide, acabando com o ciclo que permite com que as células e, consequentemente, as pessoas, engordem. Portanto, esse medicamento atua sobre a situação que promove a engorda dos pacientes, ou seja, sobre o nervosismo.
No entanto, como descrito acima, o rimonabanto é um dos remédios para emagrecer que teve a sua venda proibida pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Sendo assim, com ou sem receita, você não saberá onde comprar essa substância, a não ser que seja em sites que a venda ilegalmente, o que não é recomendado. E para piorar, o seu preço era tão alto no mercado que somente poucas pessoas tinham acesso a ele: 1 caixa com 28 comprimidos chegava a custar R$400,00.

Quantos quilos posso perder?

Os efeitos notados pelo uso Rimonabanto foram tão bons que ficou conhecido como “pílula antibarriga”. Pessoas chegaram a perder até 5 quilos por mês, mas isso com muita atividade física e reeducação alimentar. Aliás, sem esses 2 últimos ingredientes, nenhum medicamento promove resultados duradouros e sadios, principalmente porque, se você parar de tomar o medicamento, a gordura pode retornar, já que a fome volta ao normal. Com isso, reiteramos que, sem a continuação da prática de esportes e da alimentação equilibrada, não há dieta que funcione.

Efeitos Colaterais

Apesar de apresentar alguns benefícios como a perda da gordura abdominal e da queda da taxa de glicose, o Rimonabanto também se mostrou um perigoso medicamento em alguns casos, especialmente para pessoas com históricos de depressão.
Rimonabanto também pode ser encontrado pelo nome Acomplia ou Redufast.
Além disso, ele foi acusado de causar náuseas e infecções no sistema respiratório. Pacientes ainda relataram ter se tornado mais deprimidos com o seu uso e inclusive, de terem tido a intenção de se matarem. E a sua proibição pela FDA (Food and Drug Administration) aconteceu após 1 pessoa ter realmente se suicidado após a ingestão contínua do Ribonabanto.

Contra Indicações

Esse medicamento era contra indicado para pessoas hipersensíveis ao rimonabanto, para usuários de antidepressivos, para grávidas, lactantes, idosos e crianças.
Sendo assim, se você pretende emagrecer e ainda ser saudável, escolha atividades físicas que te deem prazer e que também te dê tranquilidade. O ioga é uma ótima prática que, além de moldar seu corpo, deixará a sua mente livre do estresse, um dos complicadores do emagrecimento. E para completar, nada como uma dieta saudável e equilibrada.

goji berry benefícios da goji berry


Descubra 10 motivos para incluir a goji berry na sua dieta


Foto: Reprodução
Você certamente já deve ter ouvido falar na goji berry. É a sensação do momento nas dietas. É uma fruta que cresce em arbustos e tem origem no sul da Europa e da Ásia (principalmente China, Mongólia e nas montanhas do Himalaia).

A seguir, confira as dicas da nutricionista Bárbara Riboldi, da Clínica Nutrissoma.
Por que a goji berry faz tanto sucesso?
Ele se destaca por ter várias propriedades benéficas à saúde. É uma fruta rica em aminoácidos, vitaminas, minerais, ácidos graxos insaturados, antioxidantes e polissacarídeos. É um pouco calórica: uma colher de sopa tem 50 calorias.
Por que ela é considerada um superalimento?
É o nome que se dá aos alimentos que têm uma incrível variedade de benefícios à saúde, que vão muito além do seu valor nutritivo. Esses alimentos normalmente contém uma combinação de ácidos graxos essenciais, fitoquímicos, antioxidantes e aminoácidos essenciais.
A goji berry possui uma grande quantidade de nutrientes antioxidantes. Por isso, é considerada um superalimento. Nela encontramos 18 aminoácidos, elevadas concentrações de vitamina A (beta-caroteno), B1, B2, B6 e vitamina E. É a fruta com maior quantidade de vitamina C (tem muito mais do que a laranja, por exemplo), ricas em ferro, polissacarídeos e fitoquímicos, sendo os destaques a luteína e zeaxantina.

Foto: Divulgação
10 benefícios da goji berry
1 - Rica em polissacarídeos, que impedem a absorção de patógenos intestinais (imunidade)
2 - Rica em vitaminas do complexo B que auxiliam na constituição de células protetoras (imunidade)
3 - Rica em arginina e glutamina, que auxiliam na liberação do hormônio do crescimento (interessante para quem quer ganhar massa magra)
4 – Potente estimulante, auxilia no aumento no nível de energia e na capacidade de concentração
5 – Pela ação estimulante, também pode ajudar na redução da fadiga e do estresse
6 – Sua ação antioxidante promete benefícios na prevenção de doenças cardiovasculares e diabetes
7 – Rica em fitoquímicos (carotenoide, zeaxantina, luteína e antocianina) que atuam como substâncias anticancerígenas
8 – Os carotenoides são substâncias que previnem o envelhecimento da pele
9 – A zeaxantina e a luteína são substâncias que atuam na proteção dos olhos
10 – Por conter triptofano, um precursor de serotonina, seu consumo está associado ao bom-humor, alegria e satisfação
11 – Pela presença de beta-sisterol, que tem ação anti-inflamatória, ajuda a equilibrar os níveis de colesterol
A fruta ajuda a emagrecer?
Até o momento não foram realizados estudos que comprovem um efeito emagrecedor da goji berry. Ela tem potente ação estimulante, pode auxiliar no estímulo à prática de atividades físicas e, consequentemente, causar emagrecimento.
Como podemos encontrar o goji no mercado?
Há três formas de encontrá-la: na forma in natura (por ser importada, é bem raro de encontrar nos mercados), desidratada (em lojas e empórios especializados em produtos naturais) e na forma de suplementos, em cápsulas ou em pó (em farmácias de manipulação).
Qual a variação mais indicada para incluir na dieta?
A fruta desidratada não apresenta perda de nutrientes, além de ter poucas calorias e ser de fácil consumo durante o dia. Muitos estudos têm demonstrado que o efeito de consumir um suplemento com os princípios ativos benéficos das frutas e vegetais não trazem o mesmo benefício do que consumir a fruta em si. Nela, encontramos um pool de nutrientes e substâncias benéficas, algumas ainda desconhecidas.

Foto: Caco Konzen
Qual a quantidade diária recomendada?
Duas colheres de sopa ao dia ou 150 ml de seu suco. Ela pode ser incluída no lugar de outra fruta, preferencialmente pela manhã.
Podes dar dicas de como consumir?
Podemos misturá-la a outras frutas, assim como a iogurtes, cereais, saladas ou batidas e sucos. Seu sabor é levemente amargo. Se consumido com iogurte, pode ser mais saboroso. Evite adicionar açúcar.
Existe alguma contraindicação?
Alguns estudos nos Estados Unidos apontaram que o consumo excessivo de chás com goji berry tem ação inibitória da warfarina (medicação utilizada para evitar trombose). Seu consumo não é recomendado para quem faz uso dessa medicação.
Supõe-se que alguma substância da fruta interaja com o P450 – local no fígado onde muitos medicamentos são metabolizados. Seu consumo não é indicado para quem faz uso de medicações importantes para o controle glicêmico e de pressão, por exemplo. Recomenda-se o consumo distante do uso das medicações diárias.
Superdica da nutri
Para aqueles que buscam incluir a fruta na sua alimentação, minha dica é inclui-la pela manhã ou antes de ir para academia.
Experimente: um iogurte natural desnatado + uma colher de sopa de goji berry + 1 colher de sopa de mel + 1 colher de sopa de granola + uma colher de sopa de linhaça ou chia. Fica uma delícia!
RECEITAS
1) Mousse de goji berry
Ingredientes
½ xícara de chá de goji berry desidratada
1 pote de iogurte natural desnatado
1 caixinha de creme de leite light
1 envelope de gelatina sem sabor
½ xícara de chá de leite desnatado
5 colheres de sopa de adoçante em pó para forno e fogão
Modo de preparo
Coloque a goji berry de molho em água morna por 30 minutos. Dissolva a gelatina em 300 ml de água morna, e misture a goji berry hidratado e 3 colheres do adoçante. Reserve.
Bata os demais ingredientes na batedeira até atingir uma mistura homogênea.
Distribua as duas misturas em camadas, em taças, deixe na geladeira por 2 horas. Sirva gelado.

Foto: Stock.Xchng
2) Chá de goji berry
Ingredientes
100 ml de água filtrada
1 colher de folhas para chá vermelho
2 colheres de chá de goji berry desidratadas secas
Modo de preparo
Leve a água para ferver. Em uma xícara junte o chá com as Goji berries, acrescente a água fervendo e deixe repousar de 3 a 5 minutos. Coe e sirva quente.
3) Salada de goji berry
Ingredientes
2 maçãs picadas
3 colheres de sopa de amêndoas em lâminas ou nozes picadas
1 colher de sopa de sementes de girassol
3 colheres de sopa de goji berry desidratadas
½ pote de iogurte natural desnatado
Modo de preparo
Misturar todos os ingredientes e manter na geladeira até a hora de servir.

para que serve e onde encontrar cada tipo de vitamina


Essenciais

Descubra para que serve e onde encontrar cada tipo de vitamina

Alimentação pouco variada provoca doenças derivadas da avitaminose


Descubra para que serve e onde encontrar cada tipo de vitamina Divulgaçã/Divulgação
Foto: Divulgaçã / Divulgação
As vitaminas promovem diversos benefícios para o corpo, além de manter o funcionamento do organismo em ordem. Segundo o nutrólogo André Veinert, elas também pertencem a um grupo de nutrientes orgânicos que promovem o bem-estar físico e mental. Por isso devem ser ingeridas diariamente em porções adequadas.
— A quantidade a ser ingerida pode variar conforme idade, sexo, estado de saúde e atividade física da pessoa. As doses de vitaminas devem ser aumentadas e reforçadas em gestantes, lactantes e pessoas com saúde debilitada— explica o especialista.
As vitaminas são classificadas de acordo com as substâncias que as dissolvem. As vitaminas A,D,K, E são lipossolúveis, ou seja, solúveis em gordura. Se ingeridas em excesso, podem prejudicar o organismo. Já a vitamina C e as do complexo B (1, 2, 3, 5, 6, 8 e 9) são hidrossolúveis (solúveis em água). Elas são excretadas pelos rins e podem ser consumidas diariamente.
O nutrólogo alerta para a carência de vitaminas no organismo, que pode causar avitaminose e outras doenças.
— A ausência pode ser causada por uma alimentação pouco variada. Quem não consome frutas ou verduras pode desenvolver algumas doenças como consequência da avitaminose— afirma.
Mas lembre-se que o consumo abusivo também se torna um perigo à saúde. Procure a orientação de especialistas, mantenha hábitos saudáveis e faça exercícios físicos, assim você manterá todo o seu organismo e sua mente funcionando em perfeita sintonia.
Conheça as principais vitaminas e suas funções mais importantes:
Vitamina A
Possui um papel muito importante na visão, no crescimento, desenvolvimento e manutenção da pele. Onde encontrar: alimentos de origem animal, vegetais folhosos verde-escuros, frutas amarelo-alaranjadas.
Vitamina D
É fundamental no metabolismo dos ossos, ajudando na prevenção de doenças como raquitismo, osteomalácia e osteoporose. Onde encontrar: óleo de fígado de peixe, manteiga, nata, gema de ovo e salmão.
Vitamina E
Está relacionada à prevenção de condições associadas ao estresse oxidativo, tais como envelhecimento, câncer, doença cardiovascular, entre outras. Onde encontrar: amêndoas, óleo de milho, óleo de soja, gema de ovo, nozes, gérmen de trigo.
Vitamina C
Ajuda a fortalecer o sistema imunológico, auxilia no processo de absorção do ferro pelo organismo, no combate ao stress e age como antibiótico natural. Onde encontrar: abacaxi, morango, limão, laranja, maracujá.
Vitamina K
É importante para uma boa coagulação sanguínea, estando presente na gordura dos alimentos especialmente de origem vegetal. Onde encontrar: alimentos verdes, como vegetais de folhas e legumes como couve, brócolis e salsa.
Vitamina B12
Está associada ao funcionamento de todas as células e também do tecido nervoso. Sua ausência pode provocar alterações neurológicas e o desenvolvimento de anemia megaloblástica. Onde encontrar: fígado e rim, leite, ovo, peixe, queijos e carnes.
Vitamina B1 (Tiamina)
Mantém o sistema nervoso e circulatório em bom funcionamento e auxilia na formação do sangue e no metabolismo de carboidratos. Previne o envelhecimento, melhora a função cerebral, combate a depressão e a fadiga. Onde encontrar: vegetais de folhas (alface romana, espinafre), berinjela, cogumelos, grãos de cereais integrais, feijão, nozes, atum, carne bovina e de aves.
Vitamina B2 (Riboflaviana)
Previne catarata, ajuda na reparação e manutenção da pele e na produção do hormônio adrenalina. Onde encontrar: vegetais, grãos integrais, leite e carnes.
Vitamina B3 (Nicotinamida)
Reduz os triglicerídeos e colesterol e auxilia no funcionamento adequado do sistema nervoso e imunológico. Onde encontrar: levedura, carnes magras de bovinos e de aves, fígado, leite, gema de ovos, cereais integrais, vegetais de folhas (brócolis, espinafre), aspargos, cenoura, batata-doce, frutas secas, tomate, abacate.
Vitamina B5 (Ácido pantotênico)
Auxilia na formação de hemácias e na desintoxicação química. Previne degeneração de cartilagens e ajuda na construção de anticorpos. Onde encontrar: carnes, ovos, leite, grãos integrais e inteiros, amendoim, levedura, vegetais (brócolis), algumas frutas (abacate), ovário de peixes de água fria, geleia real.
Vitamina B6 (Piridoxina)
Reduz o risco de doenças cardíacas, ajuda na manutenção do sistema nervoso central e no sistema imunológico. Além disso, alivia enxaquecas e náuseas. Onde encontrar: cereais integrais, semente de girassol, soja, amendoim, feijão, aves, peixes, frutas (banana, tomate, abacate) e vegetais (espinafre).
Vitamina B7 (Biotina)
Promove o crescimento celular, auxilia na produção de ácidos graxos e redução de açúcar no sangue. A vitamina B7 previne a calvície e também alivia dores musculares. Onde encontrar: carne de aves, fígado, rins, gema de ovo, couve-flor, ervilha.
Vitamina B9 (ácido fólico)
Promove a saúde dos cabelos e da pele. A vitamina B9 fornece nutrientes para garantir a manutenção dos sistemas imunológico, circulatório e nervoso e ajuda no combate do câncer de mama e de cólon.
Vitamina B12 (Cobalamina)
Age sobre os glóbulos vermelhos, células nervosas, no equilíbrio hormonal e na beleza da pele. Quando o consumo de alimentos ricos em vitamina B12 é pequeno, deve-se tomar um suplemento alimentar para evitar a anemia e outras complicações. Onde encontrar: fígado, rins, carnes, peixes, ovos, leite, queijo

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs